PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

PM morre em treinamento em SP; polícia investiga tiro acidental de colega

1º tenente da PM Samuel Rodrigo Rosa - Arquivo Pessoal
1º tenente da PM Samuel Rodrigo Rosa Imagem: Arquivo Pessoal

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

02/09/2020 10h10Atualizada em 02/09/2020 11h53

O primeiro-tenente Samuel Rodrigo Rosa, 43, do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais), da Policia Militar paulista, morreu após ter sido baleado na noite de ontem durante um treinamento na zona norte de São Paulo.

De acordo com as primeiras informações, do Siopm (Sistema de Informações Operacionais da PM), o policial foi vítima de um disparo acidental feito por outro tenente da PM. As causas estão sendo investigadas pela PM.

O PM deixou a mulher, que também policial, e três filhos: duas meninas, de 16 e de 9 anos, e um menino de 7 anos. Informações sobre o velório e o sepultamento ainda não foram definidas.

Homens do Gate estavam no Parque Estadual Alberto Löfgren, no Horto Florestal, região do Mandaqui, zona norte, para um treinamento de instrução de entradas táticas em uma escola desativada. O disparo que atingiu Rosa foi escutado por colegas de farda por volta das 18h30.

Ainda segundo as primeiras informações, foi verificado que um primeiro-tenente, que saia do corredor do local e entrava em um cômodo sem energia elétrica, escorregou e houve um disparo acidental da submetralhadora que estava portando.

Após o disparo, no ambiente sem luz, os policiais escutaram um grito de dor. Depois de acionarem a lanterna, viram Rosa no chão, sangrando na região do ombro direito.

Foram aplicadas técnicas de primeiros socorros e o policial foi levado ao HPM (Hospital da Polícia Militar), onde não resistiu aos ferimentos.

Por meio de nota, a SSP (Secretaria da Segurança Pública) lamentou a morte do tenente. "A Polícia Militar instaurou inquérito policial militar para apurar todas as circunstâncias do fato", disse a secretaria.

A PM informou que o oficial pertencia ao 4º Batalhão de Choque, mas estava há 19 anos na corporação. "Todas as providências administrativas estão sendo tomadas bem como todo o apoio para os familiares e equipe", informou a PM, em nota.

"Durante sua carreira o policial militar ajudou a solucionar diversas ocorrências de resgate de reféns, atuando no Gate", complementou.

Segurança pública