PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

MP identifica nova cúpula do PCC com 21 integrantes; 9 estão foragidos

14.set.2020 - Organograma da cúpula do PCC divulgado pelo Ministério Público - Divulgação/MP-SP
14.set.2020 - Organograma da cúpula do PCC divulgado pelo Ministério Público
Imagem: Divulgação/MP-SP

Luís Adorno e Josmar Jozino

Do UOL, em São Paulo

14/09/2020 17h14

O MP (Ministério Público) afirma ter identificado os 21 homens que assumiram a cúpula do PCC (Primeiro Comando da Capital) desde o primeiro semestre do ano passado, quando o primeiro e o segundo escalões da facção foram transferidos do interior de São Paulo para presídios federais em Brasília, Porto Velho (RO) e Mossoró (RN).

Dos 21 novos integrantes da cúpula identificados, oito foram presos e um morreu de causas naturais no decorrer do último ano. A Justiça expediu mandados de prisão contra os 12 restantes —o MP e a PM (Polícia Militar) tentaram cumpri-los hoje.

Um dos procurados morreu em uma suposta troca de tiros na Praia Grande, no litoral de São Paulo. Outros dois foram detidos. Ao todo, nove estão foragidos.

Na operação desta manhã, também foram detidos dois homens em flagrante.

Nova cúpula tem cinco setores

Segundo as investigações, a nova cúpula do PCC é formada por cinco setores: o "Sintonia final da rua", que tem quatro homens tidos como os principais chefes; o "Raio-X", que tem como objetivo levantar informações, com cinco integrantes; o de "Logística e fornecimento de drogas", que agem no comércio de drogas, com três membros; e o do "Progresso", responsável por cumprir as missões com seis e, dentro do "Progresso", o "Financeiro", com três.

Veja, abaixo, a situação de cada integrante da cúpula da facção até a tarde de hoje:

Sintonia final da rua:

  • Patric Uelinton Salomão: preso;
  • Marcos Roberto de Almeida: foragido;
  • Eduardo Aparecido de Almeida: preso;
  • Marcelo Moreira Prado: preso.

Raio-X:

  • Gilberto Flares Lopes Pontes: foragido;
  • Gratualino de Sousa Lira: foragido;
  • Decio Gouveia Luis: preso;
  • Claudio Jose Pinheiro Freitas: morto hoje;
  • Wellington Roberto da Cruz: preso.

Logística de fornecimento de drogas:

  • Sergio Luiz de Freitas Filho: foragido;
  • Valdeci Alves dos Santos: foragido;
  • Levi Adriano Felício: preso.

Progresso:

  • Odair Lopes Mazzi Junior: foragido;
  • Sergio Luiz Ferrari: foragido;
  • Wagner Rodrigo dos Santos: preso;
  • Diego Macedo G do Carmo: preso;
  • João Paulo Tomaz de Souza: foragido;
  • Edmilson de Meneses: foragido.

Financeiro:

  • Robson Sampaio de Lima: preso;
  • José Carlos de Oliveira: morreu de causas naturais;
  • Carla Luy Riciotti Lima: presa.

Expansão do tráfico internacional

Entre as novas lideranças, a principal é Marcos Roberto de Almeida, o "Africano" ou "Tuta", conforme o UOL antecipou. Almeida teria sido nomeado por Marcola para sucedê-lo à frente da facção assim que ele foi transferido para o sistema federal. A suspeita do MP é que a determinação tenha sido enviada por familiares ou advogados.

Tuta, ladrão de bancos e traficante, ficou preso com Marcola na penitenciária dois de Presidente Venceslau e, segundo as investigações, tinha apreço e confiança dos principais chefes do PCC que estão no sistema federal. Os investigadores acreditam que ele está em São Paulo. Policiais seguem em seu encalço.

Os investigadores sabiam que ele era o número 1 do PCC desde o ano passado, mas tiveram de reunir provas para pedir a prisão. Ele é tido como foragido a partir de hoje.

"O PCC expandiu seu comércio internacional de drogas, presente em todos os estados, vários países da América do Sul e em alguns países da Europa. Não é só com a identificação do Marcos Tuta. São 21 líderes. Com isso, o PCC está em um estado pré-mafioso", afirmou o promotor de Justiça Lincoln Gakiya.

Para o promotor, o que falta para se tornar máfia "é lavagem de dinheiro estruturada". Ele explicou que há integrantes da facção que fazem lavagem de dinheiro, mas que investigações ainda não identificaram a facção, como organização, lavando dinheiro.

"Lembrando que um quilo de cocaína na Europa vale em torno de 35 mil euros [cerca de 220 mil reais], se colocar uma tonelada de cocaína por mês, que é o que calculamos que eles colocam para a Europa, nós temos um ganho aí extraordinário", afirmou o promotor.

O procurador-geral, Mario Sarrubbo, afirmou que, com dois dos 12 mandados cumpridos, a meta da operação havia sido atingida até a tarde de hoje. "Atingimos aqueles que estavam sucedendo aqueles que estavam na cúpula", afirmou.

"Chamou a atenção no cumprimendo dos mandados que a cúpula da facção vive luxuosamente, em imóveis de alto padrao, com carros de luxo. O objetivo foi atingido, as apreensões de hoje poderão desencadear outras investigações", complementou.

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Esse e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Segurança pública