PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

MP abre investigação para apurar morte de garoto no AM após 4 anestesias

Simon, de 6 anos, deu entrada no hospital por causa de um braço quebrado - Arquivo Pessoal
Simon, de 6 anos, deu entrada no hospital por causa de um braço quebrado Imagem: Arquivo Pessoal

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL, no Recife

28/02/2021 10h26Atualizada em 28/02/2021 11h19

O MP-AM (Ministério Público do Amazonas) abriu investigação própria para apurar a morte do garoto Saimon Gabriel Freitas Neri, 6. A promotoria de Manicoré (AM), cidade a 332 km de Manaus, deu 15 dias à Secretária de Saúde do município e à Polícia Civil para que todas as informações sobre o caso sejam compartilhadas.

O menino morreu no último dia 20, após ter uma reação a quatro doses de anestesia aplicadas para imobilizar um braço quebrado.

O promotor de Justiça Vinícius Ribeiro de Souza informou que tomou conhecimento do caso devido à comoção na cidade. "Além de ter sido noticiado em vários veículos de comunicação. Por isso, decidimos pela abertura de investigação dentro do Ministério Público", explicou.

Em seguida, o MP oficiou a Polícia Civil e a Secretária de Saúde da cidade. "À autoridade policial local para que relate as medidas adotadas e à Secretaria de Saúde para que preste as informações dos procedimentos adotados no atendimento à criança", afirmou o promotor.

Para Jailson Meireles, pai de Saimon Gabriel, toda ajuda para buscar as responsabilidades sobre a morte do garoto são bem-vindas.

"A gente agradece a Deus todo apoio que estamos recebendo. Meu filho não vai voltar. Nós só queremos justiça para que não aconteça com outras pessoas", disse.

A reportagem procurou a Polícia Civil e Secretaria de Saúde de Manicoré para repercutir a decisão do MP. Por nota, a PC informou que já enviou as informações do inquérito ao MP e acrescentou que os profissionais que atenderam a vítima serão ouvidos nesta semana.

Já a Secretaria de Saúde ainda não retornou. Assim que órgão se posicionar, esta matéria será atualizada.

Entenda o caso

Saimon Gabriel deu entrada no Hospital Regional Doutor Hamilton Cidade, em Manicoré, no dia 18 deste mês com um braço quebrado. No último dia 20, o médico Samir Mamede realizou o procedimento para imobilizar o membro do garoto.

Três doses de anestesia não foram suficientes para concluir o tratamento. O médico, então, segundo a família de Saimon, decidiu aplicar uma anestesia geral. Logo sem seguida a criança começou a apresentar uma reação que culminou na sua morte.

O caso foi parar na delegacia da cidade, que abriu investigação. A prefeitura do município instaurou inquérito administrativo e afastou o médico de suas atividades. O UOL procurou o profissional, mas ele não se posicionou.

Fonte ligadas ao médico e ao hospital disseram que Samir Mamede classificou a reação à anestesia como uma fatalidade.

Cotidiano