PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Caso Lázaro: Caçada tem trotes, buscas dificultadas e troca de delegados

Policiais buscam Lázaro Barbosa, suspeito de assassinar uma família no DF, em Girassol (GO) - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Policiais buscam Lázaro Barbosa, suspeito de assassinar uma família no DF, em Girassol (GO) Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

21/06/2021 23h04

Com as buscas já durando 13 dias, a polícia ainda não teve sucesso em localizar Lázaro Barbosa, acusado de assassinar uma família inteira e que leva terror a Goiás. Devido à repercussão do caso, a Defensoria Pública do Distrito Federal pediu proteção especial à integridade física do criminoso.

O órgão enviou uma nota à Vara de Execuções Penais pedindo o cuidado contra "qualquer forma de sensacionalismo e exposição vexatória em razão da grande repercussão e comoção social vivenciada no caso".

Com uma extensa ficha criminal, que inclui condenações por homicídio, estupro e roubo, o homem de 32 anos também é suspeito de matar quatro pessoas da mesma família em Brasília, em 9 de junho, e de atacar, na semana passada, uma adolescente e os pais dela. Esses ataques aparentemente randômicos fizeram muita gente deixar a região, temerosa.

A operação que tenta prendê-lo envolve ao menos 270 homens das polícias civis, militares e federais, além do auxílio de cães farejadores e aeronaves.

Hoje (21), a Polícia Civil de Goiás substituiu os três delegados que estão na força-tarefa. Segundo a corporação, a troca de comando, que acontece pela primeira vez, é um revezamento dos profissionais.

Os novos delegados são: Paula Meotti, Rilmo Braga e Rafaela Azzi.

Dificuldade para localizar

Policiais que participam da força-tarefa alegam que a existência de fazendas e chácaras abandonadas com alimentos na região de Edilândia e Cocalzinho (GO), no entorno de Brasília, fazem as buscas por Lázaro Barbosa de Sousa ficarem ainda mais difíceis.

Um dos policiais ouvidos pelo UOL mais cedo contou que as propriedades rurais vazias contêm o que o criminoso mais precisa para esticar sua permanência na região de mata: comida, água e cama.

No dia seguinte, ele pode fazer nova tentativa de furar o cerco.

A região tem cerca de 20 quilômetros quadrados segundo um policial que está no caso desde o início. A quantidade de agentes chama a atenção da população. No entanto, ela não seria suficiente para abarcar todas as propriedades ao mesmo tempo.

Durante a madrugada de domingo para segunda-feira a polícia recebeu denúncias de moradores que teriam visto o fugitivo transitando pela mata, em Girassol.

Milhares de denúncias falsas também dificultam os trabalhos de busca. Com apenas 24 horas em funcionamento, o disque-denúncia criado exclusivamente para a operação de captura de Lázaro Barbosa recebeu cerca de mil ligações.

No entanto, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de Goiás, a maioria das informações recebidas eram falsas.

"Com aproximadamente 24 horas de funcionamento, o disque denúncia recebeu cerca de 1.000 denúncias. Sendo elas predominantemente trotes, ou conversas sem relevância para operação. Solicitamos que qualquer informação relevante seja encaminhada para o disque denúncia criado para operação de captura de Lázaro Barbosa: (061) 9 9839-5284", informou o comunicado à imprensa enviado pela SSP-GO.

Pai muda tom sobre Lázaro

Depois de chamar Lázaro Barbosa de monstro e dizer que não o reconhece como filho, na semana passada, Edenaldo declarou ao "Brasil Urgente" que deseja o bem do filho.

"Eu queria que ele se entregasse. (...) Se ele viesse chorando... o pai dele iria abraçar ele e dar todo o apoio, mas como um homem de responsabilidade, um homem sem querer praticar tudo o que ele vem praticando, e um homem que caiba dentro da sociedade, com todo caráter", afirmou o homem.

"É isso que eu quero para ele, felicidade, vida, saúde e tudo de bom, mas esse tipo de coisa, como a morte... foi Deus quem deu a vida e é ele quem tem direito de tirar", disse Everaldo ao programa da Band.

Cotidiano