PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia prende 18 em operação sobre o sumiço das 3 crianças de Belford Roxo

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

09/12/2021 08h45Atualizada em 09/12/2021 12h02

A Polícia Civil do Rio faz na manhã de hoje uma operação na comunidade do Castelar, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, para cumprir 56 mandados de prisão contra suspeitos de serem traficantes da quadrilha apontada como responsável pelo desaparecimento e morte dos meninos Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, de 11, e Fernando Henrique, de 12. A região é dominada pelo CV (Comando Vermelho).

Até o momento, foram cumpridos 33 mandados de prisão. Entre eles, 16 pessoas foram presas na manhã de hoje, foram realizadas mais duas prisões em flagrante e outros 15 mandados foram cumpridos contra suspeitos que já estavam no sistema carcerário. Cinco dos 56 mandados são por triplo homicídio e ocultação de cadáver. Os demais são por associação para o tráfico.

A corporação também divulgou áudios em que suspeitos falam da morte das crianças e do tribunal do crime.

De acordo com as investigações conduzidas pela DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense), os meninos foram mortos por traficantes do Castelar, após furtarem um passarinho. O caso ocorreu no dia 27 de dezembro de 2020.

Participam da operação de hoje cerca de 250 policiais da DHBF, do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE), do DGPB (Departamento-Geral de Polícia da Baixada) e da Core Coordenadoria de Recursos Especiais.

Áudios

Conversas obtidas pela Polícia Civil do Rio mostram suspeitos comentando as informações sobre a investigação divulgadas pela imprensa.

Em um dos áudios, um traficante se refere a Victor Hugo dos Santos Goulart, conhecido como VT ou Vitinho, como "otário" e pessoa de sorte, "pois iria morrer pelos traficantes" e afirma que ele "meteu o pé porque viu que estava morrendo geral no tribunal do tráfico". O criminoso se referia a mortes de traficantes envolvidos no caso das crianças.

Em outro áudio, uma mulher conversa com outra e comenta que "VT" se entregou à polícia para não ser morto pelo tribunal do tráfico.

Ele foi preso pela DHBF no mês passado em Cabo Frio, na Região dos Lagos (RJ).

Segundo a polícia, VT era um dos gerentes do tráfico da comunidade do Castelar. Ele dividia o cargo com Willer Castro da Silva, o Estala, "condenado à morte", em setembro, pelo tribunal organizado do CV. Estala foi assassinado no Complexo da Penha como queima de arquivo.

Quase 1 ano de investigação

Após quase um ano de investigação, os corpos das crianças ainda não foram localizados. Logo após o sumiço, traficantes da comunidade tentaram incriminar um morador do Castelar para desviar a atenção da polícia sobre o caso.

O homem foi capturado, torturado e levado para a delegacia apontado como o responsável pelo sumiço dos meninos. No mesmo dia, a DHBF descartou o envolvimento dele no caso. Por questões de segurança, a vítima e a família tiveram que deixar o Castelar.

Posteriormente, a DHBF passou a investigar uma série de mortes cometidas pelo CV. Na ocasião, a suspeita era que a facção havia começado a punir traficantes que tinham envolvimento com o desaparecimento e morte das crianças.

A conclusão do inquérito será apresentada hoje pela Polícia Civil do Rio.

Lucas Matheus, Alexandre Silva e Fernando Henrique saíram de casa para brincar em um campo de futebol e nunca mais foram vistos. A última imagem dos meninos foi registrada às 13h39 na Rua Malopia, próximo à feira de Areia Branca.

Cotidiano