PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Frio, neve, tempo seco? O que esperar do inverno no mês de julho

Chegada do inverno não impediu calor de dar as caras em São Paulo - BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO (arquivo)
Chegada do inverno não impediu calor de dar as caras em São Paulo Imagem: BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO (arquivo)

Do UOL, em São Paulo

30/06/2022 04h00Atualizada em 30/06/2022 07h52

A chegada do inverno derrubou as temperaturas em várias cidades brasileiras, mas a expectativa é a de que os termômetros não registrem valores menores no mês de julho.

De acordo com o MetSul, a tendência é a de que o Centro-Oeste e o Sudeste do Brasil tenham uma temperatura acima da média do normal para o mês — com cidades registrando até mesmo dias realmente quentes. A expectativa é que o mês termine com uma média muito acima do normal em diversos pontos.

No entanto, isso não quer dizer que os casacos tenham que ficar no armário: o frio vai dar as caras, especialmente no sul do Rio Grande do Sul. Para a primeira quinzena do mês, o InMet prevê que o centro-sul tenha temperaturas abaixo de 16ºC.

Apesar do frio, não é esperado uma alta frequência de frente frias no país. Assim, a região central, incluindo estados do Sudeste, deverá sentir o ar mais seco com grande amplitude térmica — noites frias e tardes quentes.

Também há expectativa de que as chuvas fiquem abaixo da média na maior parte do Sul. Nas regiões Centro-Oeste e Sudeste não são há previsão de chuva, pelo menos para os primeiros dias do mês. A tendência pode favorecer um número de queimadas acima do normal, alerta o MetSul.

Já os episódios de neve, como os que ocorreram em maio, dificilmente serão observados novamente nesta estação. No entanto, eventos pontuais não são descartados nas áreas mais geladas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A oscilação entre ares frios e quentes pode favorecer uma maior frequência de ciclones extratropicais, o que normalmente ocasiona a queda de neve no sul do país.

Já nas regiões Norte e Nordeste, as temperaturas vão permanecer altas e deixarão o tempo ameno. A primeira semana terá acumulados entre 60 e 100 mm nos estados de Roraima, norte do Pará, noroeste do Amazonas e extremo leste do Amapá. No Nordeste, as chuvas devem se concentrar na costa leste, podendo ter acumulados de até 120 mm e, na segunda quinzena do mês, as temperaturas na região poderão ultrapassar os 32°C.

Cotidiano