Conteúdo publicado há 1 mês

Suspeito de envolvimento nas mortes de PM e filha se entrega em SP

Um dos suspeitos de envolvimento nas mortes de um policial militar e da filha do agente após troca de tiros em frente a uma farmácia, na zona norte de São Paulo, se entregou à polícia paulista nesta terça-feira (27). Douglas Henrique de Jesus negou o crime. Outros dois suspeitos são procurados.

O que aconteceu

Douglas se entregou em uma delegacia na Vila Guilherme, na zona norte. A defesa do suspeito entrou em contato com a polícia para o homem se entregar e foi combinada a condução de Douglas até a sede do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa), no centro da capital paulista, responsável pelo caso. Ele tinha um mandado de prisão temporária em aberto pelo latrocínio (roubo seguido de morte). A polícia ainda apura qual seria a participação exata dele no crime.

Suspeito negou o crime à imprensa. Na porta do DHPP, o homem afirmou que "não atirou em ninguém" e acrescentou que está se entregando "porque o pessoal está mandando vir aqui". Na sequência, Douglas ficou em silêncio após os seus parentes, amigos e o advogado mandarem ele parar de falar.

Advogado de defesa diz que falará "em momento oportuno". "A gente vai verificar o inquérito agora, as investigações e depois a gente conversa", disse o defensor, que não teve o nome divulgado.

Delegado diz que Douglas foi identificado por meio de exame pericial. O suspeito deve passar por exames no IML (Instituto Médico Legal) e prestar depoimento à polícia nesta quarta-feira (28), esclareceu o delegado Rogério Barbosa Thomaz, do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), ao Brasil Urgente (TV Bandeirantes). Ele ainda não falou nada aos agentes sobre os dois procurados, nem sobre o crime.

Secretario de segurança pública diz que crime "foi tragédia na família das vítimas". "Sabemos que [a prisão] não os trará de volta, mas eu não poderia deixar de vir aqui para me solidarizar com a família. Não vamos medir esforços para dar as prontas respostas em casos absurdos como esse em que criminosos covardes tiram a vida de um cidadão honesto e de uma jovem de 19 anos", declarou Guilherme Derrite, em coletiva de imprensa.

Dois suspeitos ainda são procurados

Suspeitos foram identificados pela Polícia Civil como (da esquerda para a direita): Erivaldo Aparecido de Lima, Diogo Damasceno dos Santos e Douglas Henrique de Jesus
Suspeitos foram identificados pela Polícia Civil como (da esquerda para a direita): Erivaldo Aparecido de Lima, Diogo Damasceno dos Santos e Douglas Henrique de Jesus Imagem: Divulgação/Polícia Civil de São Paulo

Continua após a publicidade

Agora, outros dois suspeitos são procurados pelo crime. Os nomes deles, de acordo com a Polícia Civil, são: Erivaldo Aparecido de Lima e Diogo Damasceno dos Santos (respectivamente nas imagens da esquerda e centro). A Polícia Civil de São Paulo divulgou a identificação dos três suspeitos na segunda-feira (26).

Dupla tem mandados de prisão em aberto por latrocínio. A Polícia Civil fez a solicitação de prisão temporária ao Judiciário, que aceitou o pedido. As apurações prosseguem na Divisão de Homicídios do DHPP, liderado pela 3ª Delegacia de Repressão a Homicídios Múltiplos.

Denúncias podem ser realizadas através do Disque Denúncia, no número 181. As informações sobre os paradeiros dos suspeitos também podem ser informadas as autoridades no site Web Denúncia (clique aqui).

Relembre o crime

Policial estava de folga e em trajes civis. Na manhã de sábado, o cabo Anderson de Oliveira Valetin estava no banco do motorista e a filha Alycia Perroni Valentim, de 19 anos, no banco de trás do carro no estacionamento de uma farmácia na Vila Medeiros, quando ocorreu a troca de tiros. A esposa dele estava dentro da farmácia fazendo uma compra.

Continua após a publicidade

Três homens encapuzados e usando máscara cirúrgica se aproximam. De dentro do carro, o policial aponta a arma para eles. Dois dos suspeitos fazem um sinal para o policial com as mãos, enquanto um terceiro tenta abrir a porta da farmácia, que estava trancada. Ele se vira para seguir os outros dois, que caminhavam para longe do estabelecimento.

O policial desce do carro com a arma em punho, mas é atingido pelo homem que tentou abrir a porta da farmácia e vestia uma roupa preta. Os criminosos conseguiram fugir.

Valentim e a filha morreram no local, depois de terem recebido atendimento médico. O trio conseguiu fugir e um veículo GM Spin, utilizado por eles, foi localizado pela Polícia Militar, em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. Pertences de criminosos foram encontrados no carro e coletados para perícia. O caso foi registrado pelo 73º Distrito Policial (Jaçanã).

Deixe seu comentário

Só para assinantes