PUBLICIDADE
Topo

Bruno Covas celebra 'política' sem ódio e dá palanque a Doria após vitória

Felipe Pereira, Douglas Porto, Thaís Augusto e Allan Brito

Do UOL, em São Paulo, e colaboração para o UOL*

29/11/2020 20h21Atualizada em 29/11/2020 23h05

O prefeito reeleito Bruno Covas (PSDB) afirmou que "restam poucos dias para negacionismo e obscurantismo", ao discursar hoje à noite, em comemoração à vitória sobre Guilherme Boulos (PSOL) no segundo turno da eleição para a prefeitura de São Paulo. Covas recebeu 59,38% dos votos válidos.

A declaração sinaliza para o cenário político nacional, já que o governador João Doria (PSDB), que esteve ao lado do prefeito durante o pronunciamento, é apontado como um dos possíveis adversários do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022. Doria e Bolsonaro tem protagonizado embates públicos a respeito das ações de combate à pandemia do novo coronavírus, principalmente quando o tema é a vacinação.

"São Paulo disse sim a moderação, São Paulo disse sim ao equilíbrio. As urnas falaram e eu saberei ouvir o resultado. São Paulo não quer divisores, não quer confronto", afirmou Covas.

O prefeito ressaltou ainda que o PSDB emerge com força após o resultado das eleições municipais. "Em 2018 a análise era que o cento do Brasil esteve esfacelado, que foi o grande derrotado das eleições de 2018. Alguns analistas inclusive previam o fim do PSDB. [O ano de] 2020 mostrou que a cidade de São Paulo rejeitou o radicalismo, apostou na união".

Desde o ano passado, Covas empenha em se afirmar como um político de centro. Suas declarações são uma crítica ao "radicalismo bolsonarista", apontaram ao UOL aliados presentes no diretório municipal do PSDB.

Ainda no primeiro turno, o prefeito criticou diretamente Bolsonaro, ao dizer que não tinha sido boa uma ideia o presidente se meter na eleição de São Paulo. Bolsonaro apoiou a candidatura de Celso Russomanno (Republicanos).

Nos bastidores avalia-se que a aliança dos tucanos com MDB e DEM, exitosa em São Paulo, mostrou um caminho do que deve ser feito para vencer a eleição presidencial em 2022.

Até então sumido na disputa, João Doria teve destaque no evento para comemorar a vitória de Covas. Ele chegou junto ao prefeito no diretório municipal, localizado no bairro dos Jardins, e fez um discurso pregando união e declarando vitória do PSDB.

"O PSDB foi de fato o grande vencedor das eleições no estado [de São Paulo]. Quase metade de todo eleitorado votou no PSDB. O domínio de quase todas as cidades. A nível nacional o partido que reuniu o maior número de eleitores votando PSDB".

O presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi, afirmou em seu discurso que o partido sai da eleição como o maior no estado é vai administrar 49% da população no estado.

"Política sem ódio"

Em discurso no diretório do PSDB, ele agradeceu a confiança dos eleitores e disse que é "possível fazer política sem ódio", em recado para candidatos e eleitores radicais.

Meu avô dizia que é possível conciliar política e ética, política e honra, política e mudança. Agora, eu acrescento: é possível fazer política sem ódio e falando a verdade
Bruno Covas (PSDB), prefeito reeleito de São Paulo

Covas foi reeleito prefeito de São Paulo neste domingo (29) com 59,45%. Encabeçando uma aliança de 11 partidos, conseguiu uma diferença de votos maior do que as pesquisas indicavam até o sábado.

Elogios ao vice, Ricardo Nunes

Durante o discurso, o prefeito também agradeceu diretamente ao seu vice, Ricardo Nunes (MDB), que durante a campanha esteve envolvido em diversas polêmicas. Covas chegou a dizer que a escolha de Nunes foi uma opção para atender a coligação, e que preferiria uma vice mulher, mas nos últimos dias encampou a indicação e saiu em defesa do parceiro de chapa.

"Eu deveria fazer uma listagem grande de todos aqueles que me ajudarem e me apoiaram, mas me perdoem os parlamentares: quero aqui fazer homenagem especial ao meu vice Ricardo Nunes", começou Covas.

Ele [Nunes] sofreu muito durante essa campanha, mas esteja certo que, a partir de 1º de janeiro, vamos governar e mostrar para São Paulo quem somos e qual é nossa visão de mundo. Tenho certeza que todo sacrifício vai valer a pena pelo trabalho que vamos desenvolver. Muito obrigado, Ricardo
Bruno Covas

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, uma entidade ligada a Nunes pagou com dinheiro público empresas investigadas na máfia das creches e uma dedetizadora que pertence à família do parlamentar. A assessoria de Nunes diz que "a relação do vereador com a entidade se deve pelo trabalho social que tem com dezenas de entidades".

Nunes também foi acusado em 2011 de violência doméstica, ameaça e injúria pela esposa, com quem segue casado até hoje. Regina Carnovale registrou um boletim de ocorrência contra o vice eleito em 18 de fevereiro de 2011, na 6ª Delegacia da Mulher, em Santo Amaro (zona sul). Nesta semana, em entrevista à Folha, ela mudou sua versão e disse não se lembrar da denúncia.

Nunes foi escolhido como vice de Covas quase na última hora, quando MDB e PSDB estavam prestes a fazer suas respectivas convenções, em setembro. Alguns tucanos defendiam que o PSDB tivesse uma chapa pura, com um integrante do partido compondo com Covas. Mas a pressão de partidos aliados, como DEM e o próprio MDB, contra essa ideia levou à escolha de Nunes.

Pesou a favor de Nunes um perfil mais conservador para equilibrar acenos progressistas feitos por Covas. O vice integra a bancada religiosa da Câmara dos Vereadores. Ele é próximo a Igreja Católica.

"Bruno tem um fiel escudeiro", diz vice

Antes mesmo de ouvir os elogios de Covas, Ricardo Nunes afagou o prefeito reeleito.

Bruno tem um vice fiel escudeiro, que é vereador da periferia, começou em uma empresa com sala 2x2, montou empresa, se elegeu, reelegeu e fez trabalho digno. Me dediquei mais
Ricardo Nunes (MDB), vice-prefeito eleito de São Paulo

"Vou exercer a função com Bruno Covas no sentido que exerci da palavra vereador, que é ver a dor, estar na periferia e ser um intercâmbio com comerciante, o empresário, o trabalhador, para levar isso para o Bruno Covas. São Paulo agora tem continuidade de um trabalho com o slogan todos por São Paulo", disse Nunes.

A volta de Doria

Praticamente sem aparecer na campanha de Covas, a não ser nos dois domingos de votação, Doria fez um discurso de exaltação a Covas e, principalmente, ao PSDB.

Quero destacar valores da democracia, valor de uma campanha bem feita, conduzida sob liderança do Bruno Covas, vencendo discriminação de uma doença. Soube conduzir a campanha sem fazer uso de fake news ou ataques
João Doria (PSDB), governador de São Paulo

"Bruno construiu vitória com programa de governo e própria trajetória. Essa é a grande politica que nós aplicamos e vamos continuar acreditando para um novo Brasil. Foi vitória do equilíbrio", afirmou Doria.

O PSDB conquistou 521 prefeituras em todo Brasil, ficando em quarto lugar no ranking de partidos. No estado de São Paulo, o partido lidera com 172. Doria exaltou a sigla e a colocou com domínio em nível nacional.

*Com reportagem de Nathan Lopes, do UOL, em São Paulo