Conteúdo publicado há 1 mês

Michelle Bolsonaro defende reeleição de Nunes em post pró-Pablo Marçal

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) defendeu a reeleição do atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), em uma postagem que cita o adversário do emedisbista no pleito, o coach Pablo Marçal (PRTB).

O que aconteceu

Publicação foi feita pela deputada estadual Dani Alonso (PL-SP) na quarta-feira (12). A postagem mostra uma imagem de Dani com o coach e a pergunta "Quem será o próximo prefeito de São Paulo? Comente aqui". A publicação também traz imagens de Marçal, Nunes, Tabata Amaral (PSB) e Guilherme Boulos (PSOL), pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo.

Deputada estadual manifesta apoio ao coach. "Pablo Marçal é um grande amigo e pré-candidato à Prefeitura da cidade de São Paulo. Na próxima semana, ele estará com a gente na Alesp [Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo]", escreveu a parlamentar na legenda.

Perfil oficial de Michelle no Instagram comentou na publicação na sexta-feira (14). "Ricardo Nunes [emoji de "check"], escreveu a ex-primeira-dama. Mais de 4,7 mil pessoas curtiram o comentário, enquanto outras 1,5 mil responderam concordando ou discordando.

Pablo compartilhou a reação da ex-primeira-dama em seus stories. Segundo o jornal O Globo, o coach se manifestou em publicações sobre o tema. "Só entrei [na disputa] porque Nunes não dá conta de enfrentar Boulos", disse.

Coach diz "continuar não acreditando" que Jair Bolsonaro (PL) irá apoiar Nunes na eleição de outubro. Neste sábado (15), em respostas a seguidores, o pré-candidato do PRTB ainda escreveu que "Nunes está empurrando o Bolsonaro com a barriga". Não é a primeira vez que Marçal critica o apoio do ex-presidente ao seu rival.

Marçal tem usado o nome de Bolsonaro para tentar angariar votos. Na semana passada, o pré-candidato do PRTB a prefeito disse, após um encontro com o ex-chefe do Executivo, que Bolsonaro não apoiaria mais Nunes e, sim, ele. O coach tem um almoço marcado com a bancada do PL na Assembleia Legislativa de São Paulo na próxima segunda-feira (17).

Longe de Marçal

Ao mesmo tempo que reforçou o apoio a Nunes, Bolsonaro desautorizou uma aproximação do PL com Marçal. O ex-presidente indicou que o coach não tem autorização para usar seu nome em busca de eleitores. Indagado se poderia abandonar Nunes se sua indicação não for acatada, Bolsonaro disse que está "fechado" com o prefeito "desde o primeiro momento".

Continua após a publicidade

O ex-presidente e o prefeito paulistano se aproximaram, mas ainda não houve indicação do vice na chapa. O favorito é o coronel Ricardo Mello de Araújo, ex-comandante da Rota e ex-diretor do Ceagesp durante a gestão Bolsonaro. Na segunda-feira (18), os três se encontraram, com o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). Na saída, Nunes afirmou que o nome do vice deve sair na próxima semana.

Segundo Bolsonaro, o convite de Nunes para o almoço com ele, Tarcísio e o coronel foi um sinal positivo. Ele afirmou que as conversas estão na fase de "noivado". Ao fim do encontro, ofereceu uma medalha de "imbrochável", "imorrível" e "incomível" ao prefeito de São Paulo, a mesma que entregou a Marçal, em Brasília, na semana passada. "Eu espero que o nome do vice chegue da melhor forma consensual possível", disse Bolsonaro. "Estamos começando bem esse diálogo para, quando bater o martelo, não ter gente que nos deixe."

Ao lado de Nunes, Bolsonaro afirmou que não pode impedir ninguém de conversar com o coach. Porém, ele destacou que vai deixar claro internamente que a legenda precisa estar unida em torno da candidatura do prefeito à reeleição. "Ele [Marçal] tem procurado muita gente. Eu não vou impedir ninguém de conversar com ele. Isso não é democrático", declarou o ex-presidente.

Questionado sobre a estratégia do coach, Bolsonaro afirmou que apenas candidatos do PL ou de partidos aliados podem dizer que têm o apoio dele nas eleições municipais.

(Com Estadão Conteúdo)

Deixe seu comentário

Só para assinantes