Topo

Brasileiro pega mesmo ônibus que papa e recebe bênção do pontífice

Papa Francisco (de branco) dispensa limusine e pega ônibus com cardeais antes de primeira missa oficial - Frederico de Oliveira e monsenhor Antônio Luiz/Canção Nova
Papa Francisco (de branco) dispensa limusine e pega ônibus com cardeais antes de primeira missa oficial Imagem: Frederico de Oliveira e monsenhor Antônio Luiz/Canção Nova

Fábio Luís de Paula

Do UOL, em São Paulo

14/03/2013 21h17Atualizada em 14/03/2013 22h32

O brasileiro Frederico Henrique de Oliveira descreveu esta quinta-feira (14) como um dia de "grande emoção", depois que o paulistano registrou o momento em que o recém-eleito papa Francisco pegou o mesmo ônibus em que estava e, mais tarde, recebeu uma bênção do pontífice.

  • Frederico de Oliveira e monsenhor Antônio Luiz/Canção Nova

    Papa Francisco (de branco) sorri ao lado do cardeal brasileiro dom Raymundo Damascesno, no ônibus em direção à sua primeira missa como papa

"Eu estava junto com os cardeais brasileiros e peguei uma carona para ir ao local onde ia ser celebrada a missa, que é próximo de onde fica o escritório da Canção Nova. Quando, de repente, o papa entrou no ônibus. Todos ficaram surpresos e quiseram ceder o lugar para ele. Mas ele quis sentar ao lado do dom Raymundo [Damasceno Assis, cardeal brasileiro], que é amigo dele", contou Oliveira ao UOL do Vaticano. Ele é missionário da Canção Nova.

O ônibus fez o trajeto da Casa de Santa Marta, local onde os representantes do Vaticano se hospedaram após o conclave, até a capela Sistina, onde o papa celebrou sua primeira missa. Francisco dispensou o carro oficial a que tem direito, uma limusine.

"Foi tudo num clima muito legal. Na volta ao Santa Marta, fui a pé, e tive a oportunidade de encontrar novamente com o Santo Padre. Então pedi uma bênção e contei que minha mulher está grávida e que mudamos o nome de nosso filho para Francisco, em homenagem a ele. Ele entendeu perfeitamente meu português e disse em italiano 'Gratzie'", contou ele sobre o bebê que deve nascer no começo de abril.

Horas depois, Francisco foi até a Casa Internacional do Clero, em Roma, na qual os cardeais se hospedaram antes do conclave, e pagou com dinheiro próprio a conta referente aos dias que ficou na hospedagem.

"Ele pagou a conta para dar um bom exemplo", disse o padre Federico Lombardi, porta-voz da Santa Sé, em um encontro com jornalistas.

Bem-humorado, ele avisou aos cardeais que ia até o local para quitar a dívida e pegar as malas. No jantar com os cardeais, o papa mostrou seu humor: "Que Deus os perdoe", disse ele, referindo-se ao fato de ter sido eleito.

A Casa Internacional do Clero é um palácio do século 17 que foi designado em março de 1976, pelo papa Paulo 6º, como um local para recepcionar eclesiásticos que chegam a Roma de diversas partes do mundo.

"A igreja é de todos"

Na manhã desta quinta-feira (14), o Sumo Pontífice não usou o carro papal cuja placa é SCV1, que indica o automóvel mais importante da Cidade do Vaticano. Francisco utilizou um veículo estilo sedan para se dirigir à Basílica de Santa Maria Maior, no centro de Roma.

Ao chegar à basílica, o papa pediu ao responsável pela segurança da igreja que não fechasse a porta. A igreja é de todos e para todos, deixe as portas abertas."

Mais Internacional