Polícia diz que turista dinamarquesa foi vítima de estupro coletivo na Índia

Do UOL, em São Paulo

  • Altaf Qadri/AP

    Entrada do hotel onde a turista dinamarquesa que foi estuprada em Nova Déli estava hospedada

    Entrada do hotel onde a turista dinamarquesa que foi estuprada em Nova Déli estava hospedada

Uma mulher dinamarquesa foi vítima de um estupro coletivo na terça-feira (14) no centro de Nova Déli, informou nesta quarta-feira (15) a polícia indiana.

A mulher, de 51 anos, foi agredida por um grupo de ao menos seis homens depois de perguntar a eles como chegar ao seu hotel, em um bairro turístico no centro da capital indiana. Um grupo de suspeitos já foi interrogado pela polícia local nesta quarta.

"Estava perdida quando ocorreu o incidente. A polícia identificou os suspeitos, que estão sendo interrogados", declarou à AFP um porta-voz da polícia de Nova Déli, Rajan Bhagat.

Quando finalmente conseguiu chegar ao seu hotel, no bairro de Paharganj, a mulher explicou a uma amiga que havia sido estuprada, afirmou o porta-voz policial.

A turista foi estuprada em um local isolado, perto de uma zona de comércio da cidade, e ameaçada com uma faca, segundo a agência Press Trust of India. A dinamarquesa também teve dinheiro, um iPad e um celular roubados. Ela não quis passar por exames médicos e já voltou para a Dinamarca.

De acordo com o "The Times of India", a mulher e sua amiga estavam na Índia há uma semana e visitaram primeiro a cidade de Agra, antes de chegar na terça-feira a Nova Déli.

Uma voluntária alemã, de 18 anos, também apresentou uma denúncia por agressão sexual em um trem  que se dirigia à cidade de Chennay, no Estado de Tamil Nadu, no sul do país.

De acordo com as fontes policiais citadas pela "NDTV", o estupro ocorreu na meia-noite do dia 10 de janeiro quando a jovem dormia, mas ela não denunciou os fatos até a última segunda-feira. Ontem, as forças de segurança detiveram um suspeito relacionado com o caso.

"Detivemos um homem acusado de estupro. A jovem necessitou de vários dias para criar coragem e informar à polícia", disse hoje à "NDTV" a inspetora geral de polícia de Chennay, Seema Agarwal.

Há dez dias, uma mulher polonesa foi supostamente drogada e estuprada por um taxista quando se dirigia à capital com sua filha de dois anos.

Em dezembro, a Índia lembrou o primeiro ano da morte de uma estudante que sofreu um estupro coletivo em Nova Déli, falecendo posteriormente como consequência de seus ferimentos. O caso comoveu todo o país e colocou em evidência a violência contra as mulheres.

Um estudo feito pela Câmara Associada de Comércio e Indústria da Índia mostrou que o fluxo de turistas estrangeiros no país caiu 25% nos três meses após o estupro coletivo que abalou Nova Déli. (Com Reuters, Efe e AFP)
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos