PUBLICIDADE
Topo

Número de recapturados após fuga de presídio no Paraguai sobe para cinco

Um dos presos recapturados após fuga em presídio no Paraguai - Divulgação
Um dos presos recapturados após fuga em presídio no Paraguai Imagem: Divulgação

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

21/01/2020 08h33

Resumo da notícia

  • Dos 75 fugitivos de prisão em Pedro Juan Caballero, cinco foram recapturados
  • Dos cinco recapturados, quatro foram detidos no Paraguai e um no Brasil
  • Outro paraguaio, que seria o 76º a fugir, foi pego ainda no túnel que foi escavado

Subiu para cinco o número de presos recapturados após a fuga do presídio regional de Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com o Brasil. Quatro homens foram recapturados no lado paraguaio da fronteira e um no brasileiro. As autoridades seguem procurando os demais 70 fugitivos.

Os 75 presos, acusados de integrar ou colaborar com o PCC (Primeiro Comando da Capital), escaparam na madrugada de domingo (19), possivelmente por meio de um túnel cavado. Apenas um deles, Charli Antonio Giménez Martínez, que seria o 76º a fugir, foi detido, ainda dentro do túnel.

Segundo o Ministério da Justiça e o Ministério do Interior do Paraguai, 40 deles são brasileiros.

A prisão dos paraguaios Ronald Francisco Brítez López, de 20 anos, Orlando Manuel Torres Verón, 22, e José Enrique Ullón Duarte, 27, ocorreu por volta das 23h30 de ontem na cidade de Concepción. Eles foram transferidos para Amambay, sede das investigações, de acordo com informações do jornal ABC Color.

Ontem, as autoridades paraguaias já haviam anunciado a prisão de Sabio Darío González Figueredo. Ele estava escondido em um bairro periférico de Pedro Juan Caballero, a 200 metros da penitenciária.

Horas antes, Eduardo Alves da Cuña, um fugitivo brasileiro, também tinha sido recapturado na cidade brasileira de Ponta Porã pelo DOF (Departamento de Operações da Fronteira).

Território estratégico

Pedro Juan Caballero é um território extremamente estratégico para o PCC. A cidade é utilizada pela facção para trazer cocaína de países andinos ao Brasil. Uma vez no território nacional, a droga é enviada aos principais portos do país e, de lá, exportada para Europa, África e Ásia dentro de navios.

O diretor do presídio de Pedro Juan Caballero e outros 30 agentes carcerários —de diferentes níveis hierárquicos— estão detidos e devem prestar esclarecimentos ao Ministério Público da República do Paraguai hoje. Eles são suspeitos de terem facilitado a fuga dos 75 integrantes do PCC.

Presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez afirmou que os criminosos estão reagindo no Paraguai porque, antes, estavam se sentindo cômodos. "Vamos ter dias dolorosos, em que ganham batalhas de nós, mas não vão nos deslumbrar", afirmou.

"Vamos seguir com essa grande causa que é lutar de maneira efetiva contra o crime organizado", complementou o presidente.

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Este e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Segurança pública