PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
11 meses

Reino Unido aprova uso da vacina contra covid-19 da Moderna

Arquivo - Reino Unido aprovou uso da vacina desenvolvida pela Moderna  - Dado Ruvic/Reuters
Arquivo - Reino Unido aprovou uso da vacina desenvolvida pela Moderna Imagem: Dado Ruvic/Reuters

Do UOL, em São Paulo

08/01/2021 09h38Atualizada em 08/01/2021 10h34

O Reino Unido aprovou hoje a vacina contra covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Moderna. O imunizante é o terceiro a ser aprovado no país.

O governo encomendou 17 milhões de doses, mas os suprimentos não devem chegar até a primavera (outono no Brasil).

A vacina tem eficácia de 94,1% na prevenção da doença, segundo um estudo publicado por cientistas independentes no "New England Journal of Medicine" no dia 30 de dezembro.

O secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, comemorou a notícia e classificou a vacina como "outra arma em nosso arsenal para domar essa doença terrível".

Segundo a SkyNews, ele acrescentou que a aprovação "nos permitirá acelerar nosso programa de vacinação ainda mais assim que as doses estiverem disponíveis".

Hancock, no entanto, pediu aos britânicos que continuem a seguir as regras para manter os casos em baixa e "proteger nossos entes queridos".

Na segunda-feira (4), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou um novo lockdown em toda a Inglaterra, depois da descoberta de uma nova variante do coronavírus, considerada mais transmissível.

Terceira vacina aprovada

A vacina da Moderna é a terceira a ser aprovada pelas autoridades britânicas. No início de dezembro, o imunizante desenvolvido pela Pfizer e a BioNTech foi liberado para uso.

Já no dia 30 de dezembro, a Agência Reguladora de Medicamentos britânica (MHRA) liberou a utilização da vacina desenvolvida pelo grupo AstraZeneca em conjunto com a Universidade de Oxford.

Segundo a rede BBC, cerca de 1,5 milhão de pessoas no Reino Unido receberam pelo menos uma dose da vacina até agora. Isso inclui quase um quarto das pessoas com mais de 80 anos na Inglaterra.

Johnson disse que o objetivo é vacinar 15 milhões de pessoas até meados de fevereiro, incluindo residentes e funcionários de lares de idosos, funcionários da linha de frente do serviço público de saúde, todos com mais de 70 anos e aqueles que são considerados clinicamente vulneráveis.

No total, o Reino Unido encomendou 367 milhões de doses de vacinas para proteção contra a covid-19.

Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, o Reino Unido registra mais de 2,8 milhões de casos de covid-19 e 78.633 óbitos.

Internacional