PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Imprensa internacional repercute discurso de Biden por união nos EUA

20 jan. 2021 - Joe Biden chega no Capitólio para sua posse como presidente dos Estados Unidos - Joe Raedle/Getty Images
20 jan. 2021 - Joe Biden chega no Capitólio para sua posse como presidente dos Estados Unidos Imagem: Joe Raedle/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

20/01/2021 17h31

O democrata Joe Biden tomou posse hoje como 46º presidente dos Estados Unidos ao prestar o juramento diante do Capitólio, em Washington. Em seu primeiro discurso, o novo presidente fez um apelo pela união e pediu o fim da "guerra incivil" entre os americanos republicanos e democratas —o tom do pronunciamento foi destaque na imprensa internacional.

O New York Times diz que Biden assume em meio a uma profunda crise deixada pela gestão de Donald Trump, mas destacou o discurso do novo presidente. Para Biden, a "democracia prevaleceu" e os americanos devem se unir, deixando divisões de lado, para que possam enfrentar a pandemia do novo coronavírus, os problemas econômicos e o racismo.

O Washington Post também citou as dificuldades a serem enfrentadas pelo novo presidente e o apelo para a união do povo americano, mas enfatizou a vice-presidente Kamala Harris, a primeira mulher, a primeira negra e a primeira asiática-americana a ocupar o cargo.

Segundo o jornal, Kamala agora entra para a história como a política feminina de mais alto escalão da história americana. "O mandato de Harris foi histórico desde o momento em que ela terminou o juramento, mas ela também tem potencial para ser uma das vice-presidentes mais importantes da história americana".

O britânico The Guardian ressaltou a promessa de Biden de reunir o "espírito de unidade nacional" para guiar os Estados Unidos, além de trechos do discurso refutando os atos de violência no Capitólio: "Aqui estamos nós, poucos dias depois que uma multidão turbulenta pensou que poderia usar a violência para silenciar a vontade do povo", disse Biden no início de seu discurso.

O argentino Clarín escreveu que uma "cerimônia simbólica encerrou uma era turbulenta nos Estados Unidos" e enfatizou o discurso de Biden pedindo unidade ao povo, além da promessa de que seria o presidente de todos os americanos.

O jornal francês Le Monde transmitiu a posse de Joe Biden ao vivo pelo site, mas destacou o seguinte trecho do discurso: "Podemos tratar uns aos outros com dignidade, respeito, tratar uns aos outros como vizinhos em vez de adversários". A declaração foi dada enquanto Biden pedia união ao povo americano.

O Le Monde também citou a mensagem do presidente Emmanuel Macron, que comemorou a posse de Biden e Kamala Harris nas redes sociais dizendo "Bem-vindos de volta ao Acordo de Paris" —Biden já anunciou que vai assinar decretos para reverter políticas da gestão do antecessor Donald Trump, entre eles o Acordo de Paris sobre o clima.

Também foram destaques no jornal francês o compromisso de Biden para "derrotar a supremacia branca e o terrorismo doméstico" e o minuto de silêncio cumprido em homenagem às vítimas da covid-19. Nos EUA, 400 mil americanos morreram pela doença.

Internacional