PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Osso em carro retirado de rio pode ser de mãe ou filhos sumidos desde 2002

Matrícula do veículo confirmou que carro encontrado pertence a família desaparecida desde 2002 - Reprodução/ Polícia Estadual de Indiana (EUA)
Matrícula do veículo confirmou que carro encontrado pertence a família desaparecida desde 2002 Imagem: Reprodução/ Polícia Estadual de Indiana (EUA)

Do UOL, em São Paulo

19/10/2021 19h56Atualizada em 19/10/2021 19h56

Antropólogos da Universidade de Indianápolis, nos EUA, examinaram ontem, junto a investigadores, um carro encontrado no fundo do rio Ohio perto do Leslo Park, em Aurora, no estado de Indiana. Dentro dele, foi localizado um osso que os cientistas acreditam ser humano. O veículo, um Nissan Pathfinder de 1997, pertence a uma família desaparecida desde 2002.

A conexão dos casos se deu pelo registro do automóvel, no nome de Stephanie Van Nguyen, na época com 26 anos. Ela desapareceu em abril de 2002 com os filhos John, de 3 anos, e Kristina, de 4 anos. Na época, os investigadores do Departamento de Polícia do Município de Delhi, em Ohio, colheram informações de que Nguyen deixou um bilhete para a família, falando que iria para o rio, mas o carro não foi mais encontrado até então.

O veículo foi achado em 14 de outubro, após mergulhadores vasculharem o rio com o uso de um sonar lateral. Ele estava a cerca de 15 metros de profundidade e a 90 metros da margem. A Polícia Estadual de Indiana iniciou uma investigação e levou o material para um local seguro.

foto 1 - Reprodução/ Polícia Estadual de Indiana (EUA) - Reprodução/ Polícia Estadual de Indiana (EUA)
Carro foi localizado por meio de tecnologia de sonar, em trecho do rio Ohio perto de Aurora, no estado de Indiana (EUA)
Imagem: Reprodução/ Polícia Estadual de Indiana (EUA)

De acordo com as autoridades, os antropólogos acreditam que o osso recuperado dentro do veículo seja humano, e ele será enviado a um laboratório para confirmação de origem. Em comunicado, a polícia informou que a investigação continua em andamento.

Se estivessem vivos, Stephanie teria 43 anos, e seus filhos, John e Kristina, 20 e 21 anos, respectivamente.

Internacional