PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
5 meses

Rússia diz ter retomado ataques porque Ucrânia se recusou a negociar

Do UOL, em São Paulo

26/02/2022 11h51Atualizada em 26/02/2022 12h00

O governo da Rússia acusou neste sábado (26) o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, de rejeitar a negociação para um cessar-fogo dos combates e disse que, por isso, retomou os ataques ao país vizinho. Ao jornal britânico The Guardian, o chefe de gabinete de Zelensky, Mikhail Podolyak, negou que o ucraniano tenha se recusado a debater.

"Ontem [25], à luz das negociações pendentes com a liderança ucraniana, o presidente da Rússia ordenou a suspensão do avanço do principal grupo de soldados russos na Ucrânia. Mas, como o lado ucraniano se recusou a negociar, a operação militar russa foi retomada hoje, conforme o plano inicial", disse Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin.

Podolyak rejeitou a versão de Peskov, dizendo que a Rússia estabeleceu condições "inaceitáveis" e que as conversas nem sequer começaram.

"A Ucrânia, é claro, não se recusou a negociar", declarou o ucraniano ao The Guardian. "Negociações que, aliás, ainda não aconteceram. A Ucrânia e o presidente Zelensky são categoricamente contrários a quaisquer condições inaceitáveis ou ultimatos feitos pelo lado russo."

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2022/mapa-russia-invade-a-ucrania---25022022-1645830381488.vm')

"Não baixaremos as armas"

Mais cedo, Volodymyr Zelensky descartou a possibilidade de rendição aos ataques da Rússia. A declaração, publicada em vídeo nas redes sociais, acontece um dia depois de um porta-voz do presidente anunciar que a Ucrânia havia aceitado negociar um cessar-fogo.

"Estou aqui. Não baixaremos as armas. Vamos defender nosso país, porque nossa arma é a verdade, e nossa verdade é que esta é nossa terra, nosso país, são nossas crianças. E vamos defender tudo isso. É isso. Era o que eu queria dizer a vocês. Glória à Ucrânia", disse o presidente, segundo tradução para o inglês feita pela CNN.

Depois, em pronunciamento à imprensa, o ucraniano afirmou que as forças de segurança do país ainda controlam a capital Kiev e que estão resistindo às ofensivas russas "com sucesso".

"Nossos militares, nossa guarda nacional, nossa polícia nacional, nossas defesas, nosso serviço especial, cidadãos da Ucrânia: por favor, continuem. Nós venceremos", declarou Zelensky. "Kiev e áreas-chave [ao redor da capital] estão sob o controle de nosso exército."

Estamos resistindo com sucesso aos ataques inimigos. Sabemos que estamos defendendo nossa terra e o futuro de nossos filhos. (...) Os invasores queriam instalar seu fantoche em nossa capital. Não conseguiram. Combatemos o bom combate em nossas ruas.
Volodimir Zelensky, à imprensa