Conteúdo publicado há 6 meses

Conflito Israel-Palestina: prédio cai ao ser atingido por força israelense

Um prédio desabou hoje na Faixa de Gaza após ser atingido por forças israelenses na contraofensiva de um ataque do grupo Hamas em Israel. Até o momento, há informações de ao menos 200 israelenses e 230 palestinos mortos, segundo autoridades locais nos confrontos que começaram hoje.

O que aconteceu

Imagens do momento da queda mostram que o edifício foi atingido por várias explosões. Na sequência, o prédio cai verticalmente e uma coluna de fumaça escura se ergue no local.

"Estamos em guerra e venceremos", disse o premiê israelense em pronunciamento publicado nas redes sociais. "O inimigo pagará um preço que nunca conheceu", afirmou Benjamin Netanyahu. Ele acrescentou que também decidiu convocar reservistas e pediu aos cidadãos israelenses que sigam as instruções de segurança.

Na contraofensiva de Israel, jornais locais da Faixa de Gaza dizem que mais de 200 palestinos foram mortos, enquanto 1.610 ficaram feridos.

Governo brasileiro repudiou ataque a Israel

O governo brasileiro anuncia que, na condição de presidência do Conselho de Segurança da ONU, irá convocar uma reunião de emergência do órgão para lidar com a crise palestina.

Lula afirmou ter ficado "chocado" com os ataques realizados pelo Hamas em Israel. Ele disse ainda que o Brasil não poupará esforços para evitar a escalada do conflito.

Ao expressar minhas condolências aos familiares das vítimas, reafirmo meu repúdio ao terrorismo em qualquer de suas formas.
Lula, em publicação no X (antigo Twitter)

'Civis nunca devem ser alvo de ataques', diz ONU

O alto comissionário da ONU para Direitos Humanos, Volker Türk, disse em comunicado que está "chocado e horrorizado" com os relatos do ataque. "Esse ataque está causando um impacto terrível para a população israelense. Civis não devem ser alvo de ataques", afirmou o diplomata.

Continua após a publicidade

Eu pontuo também que as forças israelenses responderam com ataques na Faixa de Gaza, matando ao menos cinco pessoas, segundo relatos. Eu peço que elas tomem todas as precauções para evitar mais mortes de civis. Peço uma pausa imediata na violência e apelo que todos os lados envolvidos e países da região evitem mais derramamento de sangue.
Volker Türk, alto comissionário da ONU para Direitos Humanos

Deixe seu comentário

Só para assinantes