Conteúdo publicado há 6 meses

Hamas divulga primeiro vídeo de suposta refém capturada em Israel

O grupo extremista Hamas divulgou um vídeo com uma suposta refém capturada durante o festival de música eletrônica realizado em Israel no último dia 7 de outubro.

O que aconteceu:

Nas imagens, a jovem se apresenta como a israelense Mia Schem, de 21 anos.

Ela aparece no vídeo com um ferimento no braço e recebendo tratamento.

Mia diz que foi capturada no dia 7 de outubro e pede para voltar para casa. "Estou em Gaza. Fizeram uma cirurgia que demorou três horas, e está tudo bem. Só peço que me devolvam para casa o mais rápido possível, me devolvam para minha família, por favor nos tirem daqui o mais rápido possível".

A mãe da jovem, Keren Schem, disse em recente entrevista que a última informação que teve da filha foi em uma mensagem de WhatsApp. "Ela escreveu que estavam atirando nela e pediu que fossem salvá-la. Não tenho mais informações", disse ao canal Katie Couric, no YouTube.

Segundo autoridades israelenses, 260 pessoas morreram no ataque, e outros foram levados reféns. Cerca de três mil pessoas estavam na rave Universo Paralello.

Ela conta que tentou telefonar para Mia, mas ela e os amigos não atendiam. A mãe diz que Mia e os amigos tentaram fugir de carro quando os primeiros foguetes começaram a cair no local.

As Forças de Defesa de Israel confirmaram hoje (16) que 199 pessoas ainda são mantidas reféns pelo Hamas. O Exército disse ainda que no vídeo, o Hamas "tenta se apresentar como uma organização humanitária, quando, na verdade, é um grupo terrorista assassino, responsável pelos assassinatos e sequestros de bebês, mulheres, crianças e idosos".

Hamas diz que planeja libertar estrangeiros mantidos reféns

Em comunicado divulgado hoje (16), o Hamas informou que planeja libertar todos os reféns estrangeiros conforme o grupo conseguir verificar suas identidades e avaliar a "situação" ideal para a soltura. A informação é do porta-voz do Al Qassam (o braço armado do Hamas), Abu Obaida.

Continua após a publicidade

"Libertaremos todos os estrangeiros mantidos em cativeiro em Gaza, pois não tivemos tempo de verificar suas identidades durante a captura. Nós os consideraremos como convidados até que a situação permita a libertação", diz uma nota acompanhada de um vídeo de Abo Obaida, ambos publicados no Telegram do grupo.

O grupo extremista diz ter entre 200 e 250 reféns israelenses. Não há detalhes de quantos são civis e quantos são militares.

Deixe seu comentário

Só para assinantes