Conteúdo publicado há 8 meses

Refém de 85 anos libertada diz que não sabe onde o Hamas mantém cativeiro

Yochved Lifschitz, de 85 anos, refém libertada nesta segunda-feira (23) pelo Hamas, disse ao site de notícias Ynet que não sabe onde foi mantida depois de ser sequestrada no começo do mês quando o grupo extremista invadiu Israel.

O que aconteceu

"Eles me colocaram em uma motocicleta. Com um me segurando pela frente e o outro por trás para que eu não caísse. Atravessámos a cerca da fronteira para a Faixa de Gaza e, no início, fui detida na cidade de Abasan al-Kabira, que fica perto do [kibutz] Be'eri. Depois disso, não sei para onde fui levada", revelou ela.

Ontem, um vídeo divulgado pelo Hamas mostra o momento em que Yochved Lifschitz e Nurit Yitzhak são libertadas. O canal egípcio AlQahera News também publicou imagens do momento em que as reféns receberam atendimento médico (assista abaixo).

A filha de Yochved, Sharone Lifschitz, diz não ter informações sobre seu pai, Oded, de 83 anos, ainda mantido em cativeiro pelo Hamas. "Continuo focada em garantir a soltura do meu pai e de todos que ainda são mantidos reféns em Gaza", afirmou.

"Ele não estava com minha mãe, então minha mãe não sabe onde ele está. Eu sei pela minha mãe, ela disse que foram cuidados e tinha um médico lá, então isso traz muito conforto para todos que existe algum tratamento", disse Sharone Lifschitz à BBC em entrevista.

"Meu pai estava ficando mais frágil. Ambos são pessoas muito amorosas, pessoas de família. Eles adoravam receber a família e meu pai estava muito envolvido com questões políticas no kibutz", acrescentou a filha.

Sharone disse que ele foi um defensor de longa data pela coexistência "dos direitos dos palestinianos e no trabalho pela paz".

E espero que ele esteja lá, sendo cuidado e tenha a chance de conversar. Ele fala bem árabe, por isso consegue se comunicar muito bem com as pessoas de lá. Ele conhece muitas pessoas em Gaza. Eu quero pensar que ele vai ficar bem
Sharone Lifschitz

Continua após a publicidade

Arnon Lifschitz, também filho de Yochved, disse ao site de notícias Walla que sua "mãe estava junto com outras 55 ou 60 pessoas no mesmo lugar. Se todos estiverem na mesma situação, há espaço para otimismo".

Segundo porta-voz do Exército de Israel, Hamas ainda mantém 222 reféns. O almirante Daniel Hagari também informou que o Exército israelense prepara operações para "impedir que o movimento palestino se beneficie da ajuda humanitária" enviada à cidade de Gaza.

Deixe seu comentário

Só para assinantes