Topo

Apenas 20% do texto final da Rio+20 já foi fechado, informa jornal

Do UOL, em São Paulo

08/06/2012 16h26Atualizada em 08/06/2012 20h51

O documento-base das discussões da Rio+20 releva conflitos entre países e só apresenta acordo total em 20% do texto. É o que informa o jornal inglês The Guardian, que recebeu uma cópia do último draft (documento base das discussões) fechado pelos negociadores em Nova York no começo de junho, antes do início da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorre no Rio de Janeiro, de 13 a 22 de junho.

O diplomata chinês Sha Zukang, presidente da Rio+20, admitiu após a última rodada preparatória nos EUA que pontos cruciais ainda estavam sem solução.

A discussão sem fim sobre a formulação de cláusulas e termos no texto atrapalha a elaboração do projeto que seria para "salvar o planeta" . Ainda não há consenso sobre a definição dos objetivos de desenvolvimento sustentável, uma das metas do encontro, nem do conceito de economia verde, um eixo principal da Rio+20.

Em 13 de junho iniciam as últimas negociações preparatórias antes da Cúpula com os chefes de Estado. Os negociadores têm apenas 3 dias para fechar os 80% restantes do texto.

Segundo a ONG  Third World Network, os países desenvolvidos ainda estariam firmemente contrários às propostas dos países em desenvolvimento, que pedem o fornecimento de "novos e adicionais recursos financeiros". O G77, que inclui os países em desenvolvimento como Brasil e China, chegou a sugerir eliminar o capítulo sobre finanças do texto dada à posição irredutível dos países desenvolvidos.

Tudo fechado antes da cúpula

Sha acredita que é possível lançar um processo no Rio de Janeiro para definir objetivos de desenvolvimento sustentável como uma característica central de um quadro de desenvolvimento pós-2015.  Entre as questões polêmicas estão assegurar que os objetivos integrem as dimensões econômica, social e ambiental do desenvolvimento sustentável, o processo de desenvolvimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as áreas prioritárias para possíveis metas.

Sha acrescentou ainda que o ritmo das negociações precisa ser acelerado, a fim de concluir as negociações até o final da próxima e última reunião do Comitê Preparatório. A ideia na ONU é fechar o texto antes da chegada dos chefes de Estado.

'Nós devemos ser determinados para confrontar as questões mais difíceis agora - 100% delas - em vez de deixar para os líderes", disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

A assessoria do Ministério das Relações Exteriores do Brasil afirma que não se posiciona sobre a veracidade de documentos vazados e que o governo não divulga documentos em que as negociações ainda estão em aberto, como é o caso.

Meio Ambiente