Topo

Salles diz que queimadas em MT preocupam e nega omissão sobre desmatamento

Ministro é vaiado

UOL Notícias

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

21/08/2019 10h22

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, negou hoje que a pasta tenha se omitido na aplicação de políticas de combate ao desmatamento da Amazônia. Ele ainda afirmou que as queimadas em Mato Grosso são uma fonte de preocupação e que tomará providências nas áreas afetadas. Salles foi vaiado diversas vezes durante o terceiro dia da Semana Latino-Americana sobre Mudança do Clima, evento da ONU (Organização das Nações Unidas) sediado em Salvador.

"Não há nenhuma omissão do ministério. Se nós olharmos, todas as regras aplicáveis ao desmatamento ilegal foram mantidas. Todas as estratégias continuaram sendo atuadas. Infelizmente, tanto os estados quanto o governo federal sofrem em razão da crise econômica de cortes orçamentários, e isso atrapalha também operações de fiscalização tanto nos estados quanto em nível federal. Mas a política de combate à criminalidade, às atividades ilegais segue, e nós precisamos realmente dar uma solução estruturante para esse problema do desmatamento ilegal, das atividades ilegais na região da Amazônia, que é uma área que compreende uma área de 5 milhões de km² e, portanto, bastante complexa para sua atuação", disse o ministro.

A declaração ocorre um dia depois de o Proam (Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental) e outras 50 ONGs protocolarem, na Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, pedido de averiguação de improbidade administrativa contra Ricardo Salles.

Segundo as entidades, a solicitação é feita "em razão do aumento da devastação da floresta amazônica e da omissão do ministério diante da gravidade da situação, além da redução das multas aplicadas na região pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama)".

Alexandre Santos/UOL
Imagem: Alexandre Santos/UOL

O pedido também será repassado à Defensoria Pública da União e à Procuradoria-Geral da República.

Questionado acerca das providências a serem tomadas diante das recentes queimadas, o ministro disse que, ainda hoje, visitará as áreas mais afetadas.

"Nós vamos sair daqui hoje, logo depois do almoço, diretamente lá para a Amazônia fazer uma vistoria in loco junto com o governo do estado de Mato Grosso, que é onde está ocorrendo a maior quantidade dos pontos de queimadas. É uma situação realmente preocupante, agravada pelo clima seco, pelo calor. Tanto o ICMBio quanto o Ibama estão com todas as suas equipes de brigadistas, equipamentos, aeronaves, recursos disponíveis para apoiar os governos dos estados nesse combate às queimadas", afirmou Salles.

Meio Ambiente