Topo

Cientistas pedem compromissos maiores com Acordo de Paris para conter mudança climática

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Por Timothy Gardner

Da Reuters

05/11/2019 15h19

Os compromissos das nações filiadas ao Acordo de Paris são inadequados, em sua maioria, para evitar os piores efeitos do aquecimento global, disseram cientistas nesta terça-feira, citando os países que mais emitem gases do efeito estufa entre aqueles que mais precisam intensificar os esforços.

"Os governos estão seguindo na direção certa, mas nem perto do suficiente, então é de se esperar que estejam dispostos a adotar compromissos muito mais fortes" na cúpula climática da Organização das Nações Unidas (ONU) na Espanha no mês que vem, disse Robert Watson, principal autor do relatório da entidade sem fins lucrativos Universal Ecological Fund.

O relatório considerou insuficientes 136 dos compromissos, ou quase 75%, incluindo aqueles dos grandes emissores de carbono China, Estados Unidos e Índia. Uma dúzia deles, de nações que incluem Austrália, Japão e Brasil, foram vistos como apenas parcialmente suficientes.

Os países presentes na cúpula da Espanha elaborarão alguns detalhes do pacto internacional para conter o aquecimento. O Chile desistiu de sediar o evento depois de semanas de protestos contra a desigualdade.

Dos 184 compromissos que os países fizeram no acordo climático, só 36 são ambiciosos o bastante para ajudar a se alcançar a meta do pacto, que é manter o aquecimento global inferior a 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais, disse o relatório. A maioria destes 36 é de países da União Europeia.

Watson, ex-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (IPCC), disse que o relatório pode ser lido de duas maneiras: "Você pode ler 'meu Deus, não tem solução' ou 'meu Deus, isso é um alerta'".

Ele estimou que mesmo que todas as nações cumpram seus compromissos atuais, o mundo caminhará para um aumento de temperatura de 3º a 3,5º Celsius, o que pode levar a mais eventos climáticos extremos, um aumento do nível dos mares e a perda de espécies vegetais e animais.

O relatório apontou que os 28 países-membros da UE têm compromissos suficientes porque visam reduzir as emissões de gases de efeito estufa ao menos 40% abaixo do nível de 1990 até 2030.

O documento considerou os compromissos dos EUA insuficientes porque o presidente Donald Trump reverteu as políticas climáticas de seu antecessor, Barack Obama, e tirou o país do pacto.

Meio Ambiente