PUBLICIDADE
Topo

AGU consegue bloquear R$ 302 milhões em bens de desmatadores da Amazônia

35% do desmatamento na Amazônia entre agosto de 2018 e julho de 2019 se deu em terras públicas não destinadas, categoria visada por grileiros - Reuters
35% do desmatamento na Amazônia entre agosto de 2018 e julho de 2019 se deu em terras públicas não destinadas, categoria visada por grileiros Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/06/2020 20h37

A Força-Tarefa em Defesa da Amazônia da AGU (Advocacia-Geral da União) conseguiu bloquear mais de R$ 302 milhões em bens de desmatadores da Floresta Amazônica no Mato Grosso e no Pará. A atuação ocorreu junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

A AGU descreveu, em nota, que um dos casos trazia proprietários responsáveis pela destruição de 200 hectares de mata sem autorização dos órgãos ambientais em Redenção, no Pará.

A Advocacia-Geral pediu solicitou a decretação da indisponibilidade de bens móveis e imóveis no valor de R$ 300,4 milhões — o montante é para garantir a recuperação do dano ambiental e indenização por dano moral coletivo.

No segundo caso, foram desmatadas uma área de quase 70 hectares de mata nativa no município de Paranaíta, no Mato Grosso. Na ação, a Força-Tarefa requereu o bloqueio de R$ 1,58 milhão em bens dos proprietários da terra.

A AGU argumentou que os danos ambientais vêm ocorrendo há bastante tempo e que ainda persistem na região.

Meio Ambiente