PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Salles gastou R$ 105 mil em ações de política ambiental no ano, diz estudo

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente no governo de Jair Bolsonaro (sem partido) - José Cruz/Agência Brasil
Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente no governo de Jair Bolsonaro (sem partido) Imagem: José Cruz/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

11/09/2020 08h37

O ministro Ricardo Salles, responsável pela pasta do Meio Ambiente do governo, gastou entre janeiro e agosto cerca de R$ 105 mil em ações orçamentárias disponíveis para o ano em política ambiental.

Os dados são de um estudo do Observatório do Clima, que afirmou que este número corresponde a 0,4% do orçamento autorizado em iniciativas referentes à mudança climática, à proteção da biodiversidade e à melhoria da qualidade ambiental urbana, por exemplo.

A entidade levantou informações do Siop (Sistema Integrado de Orçamento e Planejamento) e informou que a análise se baseia em ações "finalísticas", - que o ministério pode gastar de forma discricionária com programas que tenham relação com objetivos do governo. Na contagem, não há pagamentos de salários, aluguéis e gastos com autarquias (Ibama, Instituto Chico Mendes e Jardim Botânico do Rio).

A nota técnica do Observatório afirma que, "ponderada a execução orçamentária, o projeto em curso é não fazer política ambiental, seja paralisando o que vinha sendo executado, seja não iniciando novos projetos que tenham a devida concretude."

"O valor de execução é tão baixo que impressiona. Os números indicam que não estamos longe do plano inicial de Jair Bolsonaro de extinguir o Ministério do Meio Ambiente, porque na prática a pasta está parada", afirmou Suely Araújo, especialista em políticas públicas do Observatório do Clima, ao site da entidade.

Meio Ambiente