PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Chuva ajuda a amenizar propagação de focos de incêndios no Pantanal

Incêndios estão consumindo o Pantanal                              - IBERE PERISSE/PROJETO SOLOS/AFP
Incêndios estão consumindo o Pantanal Imagem: IBERE PERISSE/PROJETO SOLOS/AFP

Do UOL, em São Paulo

20/09/2020 20h28

Mesmo considerada de baixa intensidade, a chuva que caiu na madrugada de hoje na região do Pantanal no Mato Grosso ajudou a amenizar a velocidade de propagação das chamas e amenizou os focos de incêndios, informou o Corpo de Bombeiros do estado. A chuva começou a cair na cidade de Poconé, distante 104 km de Cuiabá.

Ainda de acordo com o comunicado do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso, uma nova avaliação será feita em 72 horas para avaliar todo o cenário. Há quatro meses não chovia na região.

O número de queimadas no Pantanal bateu recorde para um mês apenas nos primeiros 16 dias de setembro. Além disso, nos últimos dias, a Bolívia voltou a enfrentar grandes incêndios, o que representa mais uma fonte de carbono negro na atmosfera.

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) mostram que 15.756 focos de calor foram registrados no Pantanal, neste ano. Em 2005, ano que detinha o recorde até então, foram 12.536 focos.

A fumaça das queimadas que devastam principalmente a Amazônia e o Pantanal se estende por mais de 4 mil quilômetros e chega a pelo menos cinco países vizinhos — Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai —, segundo imagem de satélite divulgada ontem pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Meteorologistas chegaram a alertar para o risco de que uma "chuva preta" caísse hoje na cidade de São Paulo, resultado da fuligem das queimadas que viaja pelo continente. Mas a atmosfera acabou sendo "limpa" pela chuva que já caiu nos últimos dias, e o fenômeno não deve mais acontecer.

Meio Ambiente