PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Serra da Capivara: Fogo ameaça vestígios mais antigos do homem na América

Incêndio vem consumindo a Serra da Capivara, no Piauí - Reprodução/Instagram/Prefeitura de São Raimundo Nonato
Incêndio vem consumindo a Serra da Capivara, no Piauí Imagem: Reprodução/Instagram/Prefeitura de São Raimundo Nonato

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

08/09/2021 16h21

Um incêndio que vem consumindo a vegetação desde sábado (4), no município de São Raimundo Nonato (PI), ameaça atingir o Parque Nacional da Serra da Capivara, local que reúne a maior número de sítios arqueológicos do Brasil, com 172 espaços catalogados, e tem os vestígios mais antigos do homem nas Américas, como restos de carvão de uma fogueira datada de 50 mil anos. Uma prefeita e o humorista Whindersson Nunes se manifestaram pedindo ajuda.

Vinte homens do Corpo de Bombeiros Militar do Piauí chegaram hoje para ajudar as equipes de brigadistas do PrevFogo do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) a conter o fogo. O incêndio está a cerca de 8km do parque.

A vegetação da Serra da Capivara é a caatinga e, nesta época do ano, não há chuvas na região, predominando o clima seco e quente. O fogo, segundo a prefeitura, foi ocasionado por agricultores de um assentamento e atingiu duas casas, e segue em direção a PI-140 e BR-020.

As equipes tentam apagar o fogo que está a cerca de 8 km em direção ao Parque Nacional da Serra da Capivara, que tem importância histórica mundial pelo rico material arqueológico.

O parque da Serra da Capivara foi criado em 1979 e é patrimônio mundial da Unesco. O parque reúne 172 sítios arqueológicos, dentre eles pinturas rupestres feitas pelos povos mais antigos das américas, além de esqueletos humanos e animais. É lá onde ficam localizados o Museu do Homem Americano, que detém em sua exposição o crânio de Zuzu, considerado o mais antigo do Brasil, com cerca de 12 mil anos, e o Museu da Natureza, com exposição de esqueletos e réplicas de animais pré-históricos encontrados na região.

Câmeras de monitoramento do parque já registraram presenças de onças pintadas, tamanduás, veados e outros animais da fauna do local. Em uma das capturas, foi vista uma onça preta.

Antes da chegada do Corpo de Bombeiros, o incêndio vinha sendo apagado por brigadistas e voluntários com uso de carro-pipa. O município não tem unidade do Corpo de Bombeiros e ontem a prefeitura apelou por ajuda. Segundo a prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro (PP), surgiram vários focos de incêndio ao mesmo tempo, dificultando o controle do fogo, que foi ocasionado por queimadas.

"Infelizmente, é um fenômeno difícil de controlar, pois, apesar das campanhas de conscientização contra queimadas, muitos [moradores] não colaboram. Temos feito o que está a nosso alcance: suporte às brigadas do ICMBio com o envio de carros-pipa. Nos unimos numa força tarefa para mobilizar a equipe do Corpo de Bombeiros. O que me conforta um pouco é ver a solidariedade do nosso povo, que cada minuto se dispõe a ajudar da maneira que pode. Está sendo uma noite difícil, não só para famílias afetadas, mas para todos", contou Castro em uma publicação no Instagram.

A prefeitura de São Raimundo Nonato informou, na manhã de hoje, que parte do incêndio foi controlado, apesar da dificuldade de acesso aos pontos de fogo.

O humorista piauiense Whindersson Nunes se manifestou no Twitter, na manhã de hoje, sobre a situação de perigo em que se encontra o parque da Serra da Capivara diante do incêndio que está avançando em direção à área.

"Deixa isso acontecer na Serra da Capivara não, gente, por favor Esse fogo é perto dos fósseis mais antigos das Américas, vcs sabem que a gente não consegue controlar um fogo num museu numa capital, imagina assim isolado", disse Nunes, se referindo ao incêndio que destruiu o Museu Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro, ocorrido em 2018.

Meio Ambiente