PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Como impressões 3D podem salvar corais em risco e 'reeducar' ecossistema

Mergulhador instala coral "cérebro" de coral 3D no fundo do mar - Reprodução/Youtube
Mergulhador instala coral "cérebro" de coral 3D no fundo do mar Imagem: Reprodução/Youtube

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/09/2021 12h23

Uma startup da Universidade de Hong Kong, na China, criou um projeto com impressões 3D para ajudar a salvar a população de corais. A ideia surgiu a partir das mudanças climáticas causadas pelo excesso de calor e poluição.

Fundada em 2020 pelo professor de biologia Marinha David Baker e pelo doutorando Vriko Yu, o projeto ambicioso da archiREEF espera tornar os corais "mais resistentes" às mudanças climáticas, segundo a CNN.

As primeiras fases do projeto ocorreram no Parque Marinho Hoi Ha Wan, antes mesmo do surgimento da empresa, em 2016, em parceria com o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação de Hong Kong.

Baker e Yu precisavam criar um novo fundo para os corais crescerem e começaram a instalar um recife de coral artificial com impressões 3D feitas na universidade. O material tem 60 centímetros de largura e imita a platigira, conhecida como "coral cérebro", reeducando o ecossistema local.

Após ser inserido na água, a equipe cola com um material não tóxico os corais nos ladrilhos, permitido que eles cresçam de forma saudável, atraindo a vida marinha e filtrando a água.

Ainda de acordo com a CNN, a empresa pretende atrair apoio do governo e de organizações para expandir o negócio. O modelo de aplicação inclui a montagem dos corais artificiais e administração da archiREEF por cinco anos.

Depois desse tempo, o coral deverá ser forte o suficiente para sobreviver sem os ladrilhos, que devem se deteriorar naturalmente com o tempo.

Meio Ambiente