PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Conteúdo publicado há
4 meses

Baleia ameaçada de extinção encalha e morre em praia no Pará

Luciana Cavalcante

Colaboração para o UOL, em Belém (PA)

31/12/2021 11h36Atualizada em 31/12/2021 14h27

Uma baleia da espécie fin, ameaçada de extinção, não resistiu e morreu ontem (30) após encalhar em uma praia da ilha Caviana, no município de Chaves, no arquipélago do Marajó (PA).

Em nota enviada ao UOL, a Secretaria de Meio Ambiente do município de Chaves informou que uma equipe da prefeitura foi até o local e encontrou o animal ainda com vida, mas muito debilitado por conta da exposição ao sol. Ainda segundo o órgão, os moradores tentaram salvá-la, mas ela morreu às 18h de ontem.

A chegada do animal mobilizou residentes da região, que passaram a se revezar jogando água para tentar salvá-lo e entraram em contato com órgãos ambientais para fazer o resgate.

baleia, marajó - Everaldo Correa - Everaldo Correa
Baleia encalha em praia do arquipélago de Marajó (PA)
Imagem: Everaldo Correa

Segundo um dos primeiros moradores que a avistou, a baleia apareceu por volta das 6h.

"Ela estava perto da ilha do Camaleão, no canal Pocotó, um canal perigoso que tem aqui em frente, e veio vindo para a beira da praia conforme a maré foi baixando", contou o servente Everaldo Correa.

baleia, marajó - Everaldo Correa - Everaldo Correa
Baleia encalha em praia no arquipélago do Marajó (PA)
Imagem: Everaldo Correa

A bióloga Rosângela Souza, do Instituto Bicho D'Água, uma organização de pesquisa e conservação dos mamíferos aquáticos amazônicos, disse que a entidade foi contatada pela Secretaria de Meio Ambiente de Chaves no início da tarde de ontem para ajudar no salvamento do mamífero. Por conta da distância e dificuldade de acesso, não foi possível o deslocamento de uma equipe. Assim, a bióloga acompanhou o caso à distância.

"Tentamos de todas as formas o deslocamento, mas como o local não oferece condições de voo pela parte da tarde, ficamos orientando os técnicos sobre como proceder, mantendo a baleia hidratada para tentar o salvamento. Mas infelizmente não foi possível [salvá-la], porque ela estava muito debilitada e abaixo do peso", explicou.

Segundo Rosângela, a baleia da espécie fin que encalhou na Ilha de Caviana era um animal sub-adulto com 16.5 metros de comprimento e aproximadamente 10 toneladas, sendo que essa espécie pode chegar até 70 toneladas. Ela está na lista de animais ameaçados de extinção. Seu habitat natural é a água salgada, e o local onde foi encontrada é de água doce.

"Pode ser que não tenha conseguido encontrar alimentação adequada. Isso pode explicar o fato de estar debilitada", disse a bióloga.

O adoecimento também é um fator que pode ter contribuído para o encalhe, já que a baleia fin é considerada a que se movimenta mais rápido e a segunda maior do mundo. Em condições normais de saúde, talvez fosse possível realizar manobras para devolver o mamífero para águas mais profundas, mas devido a seu estado de saúde, ele não resistiu mais do que seis horas na praia, mesmo com os cuidados orientados pela especialista.

Ainda segundo a bióloga, o canal onde a baleia foi encontrada fica próximo ao rio Amazonas, que tem profundidade necessária para o seu deslocamento, mas ela pode ter se perdido. "Ela pode ter ficado desnorteada por estar doente e fraca, com alguma bactéria ou fungo, e acabou indo parar na praia".

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente de Chaves, um local está sendo viabilizado para colocar o animal e evitar o odor da decomposição.

Outros casos

Essa não é a primeira baleia da espécie que encalha na costa do Pará. Em janeiro deste ano, outra fico presa próximo ao município de Quatipuru, no nordeste do estado, o que indica que pode haver uma migração dessa espécie nessa época do ano para a costa norte.

"Como os dois casos ocorreram em meses próximos, sugere que haja uma movimentação de migração nessa época do ano, mas isso só poderíamos confirmar com uma análise genética para obter essas respostas em relação à origem desses animais, se são do Caribe do Atlântico Norte, se estão indo para a costa sul do Brasil, onde está mais quente, no período reprodutivo, para se alimentar ou algo assim", disse a bióloga Rosângela Souza.

A Secretaria de Meio Ambiente de Chaves informou que este é o segundo caso de encalhe de baleia na cidade em 2021. Em fevereiro, um exemplar da espécie Bryde, com 9,5 metros de comprimento, encalhou no mesmo local.

Meio Ambiente