PUBLICIDADE
Topo

Política

Grupo de evangélicos pede saída de Genoino e Cunha da CCJ da Câmara

Um grupo de cerca de 50 pessoas protestou na manhã desta quarta-feira (17) dentro da sala onde acontece a sessão da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Câmara dos Deputados. Eles pedem a saída dos deputados José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP) da comissão - Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Um grupo de cerca de 50 pessoas protestou na manhã desta quarta-feira (17) dentro da sala onde acontece a sessão da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Câmara dos Deputados. Eles pedem a saída dos deputados José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP) da comissão Imagem: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Camila Campanerut

Do UOL, em Brasília

17/04/2013 11h36Atualizada em 17/04/2013 12h58

Um grupo de cerca de 50 pessoas, a maioria evangélica, protestou a na manhã desta quarta-feira (17) dentro sala onde acontece a sessão da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da Câmara dos Deputados. Eles pedem a saída dos deputados José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP) da comissão.

O petista foi condenado no fim do ano passado no julgamento do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal) a seis anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. Cunha também foi condenado, a 

PENAS DO MENSALÃO

  • Arte/UOL

    Clique na imagem para ver quais os crimes e as punições aplicadas aos réus

Os manifestantes disseram que o ato é uma retaliação à pressão pela renúncia do deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP) da CDH (Comissão de Direitos Humanos e Minorias) da Câmara.

“São dois pesos e duas medidas. É uma indignação dos evangélicos. Por que o Brasil não se manifesta? Não faz sentido o Genoino condenado fazer parte da comissão e o pastor Feliciano, que é ficha-limpa, não poder presidir?”, justificou o pastor Egmar da Assembleia de Deus, do Gama, cidade do Entorno de Brasília.

No último dia 9, após reunião dos líderes dos partidos com representação na Câmara, Marco Feliciano decidiu não renunciar ao cargo de presidente da CDH. Segundo parlamentares que estavam presentes à reunião, Feliciano tentou negociar sua renúncia em troca da saída dos deputados João Paulo Cunha (PT-SP) e José Genoino (PT-SP), condenados no julgamento do mensalão, da CCJ.

O grupo está em silêncio acompanhando a reunião. Eles apenas carregam cartazes com os seguintes dizeres: “Fora Genoino”, “Cristão protesta com Educação” e “Sim à Família”.

Genoino acompanha a reunião e ainda não se pronunciou sobre o protesto contra ele. Ao lado dele, a deputada Iriny Lopes (PT-ES) disse “ser normal este tipo de manifestação”. “Eles estão no direito deles”.

Política