Topo

Pepe Vargas vai deixar ministério no final de fevereiro para se candidatar

O deputado federal Pepe Vargas (PT-RS) assumiu o Desenvolvimento Agrário no lugar de Afonso Florence (PT-BA) - Agência Brasil
O deputado federal Pepe Vargas (PT-RS) assumiu o Desenvolvimento Agrário no lugar de Afonso Florence (PT-BA) Imagem: Agência Brasil

Bruna Borges

Do UOL, em Brasília

13/02/2014 12h07Atualizada em 13/02/2014 12h17

O ministro Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário) disse nesta quinta-feira (13) que deixará a pasta no final de fevereiro, mas não informou a data precisa. Ele entregará o cargo para se  dedicar a campanha eleitoral para deputado federal pelo Rio Grande do Sul em 2014.

“Deixo cargo no final do mês, mas ainda sem data precisa ainda”, afirmou o ministro.

Vargas afirma que já conversou com a presidente Dilma Rousseff sobre o assunto, mas desconversou quando questionado sobre quem irá assumir a pasta.

“Já conversei com a presidente sobre a saída, mas cabe a ela anunciar quem vai me substituir [no ministério]”, disse Vargas.

Segundo o blog do jornalista Marcelo de Moraes, do jornal “O Estado de São Paulo”, o petista Miguel Rossetto deve reassumir o comando da pasta quando Vargas deixar o cargo. Ele foi ministro do governo Lula entre 2003 e 2006.

Vargas assumiu o Ministério do Desenvolvimento Agrário em março de 2012 no lugar do deputado federal Afonso Florence (PT-BA).

O ministro é filiado ao PT desde 1981 e está em seu segundo mandato na Câmara dos Deputados. Já foi vereador em 1988 e deputado estadual em 1994, além de prefeito de Caxias do Sul (RS) por duas vezes: eleito em 1996 e reeleito em 2000.

Como deputado estadual, atuou nas Comissões de Saúde e Meio Ambiente e de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo.

Vargas iniciou sua militância política no movimento estudantil, informou o ministério. Também foi funcionário do Sindicato dos Metalúrgicos e nos sindicatos dos têxteis de Caxias do Sul e  dos petroquímicos do Rio Grande do Sul.

No começo de fevereiro, a presidente fez quatro trocas em seu ministeriado. Foram empossados Thomas Traumann (que substitui Helena Chagas na Secretaria de Comunicação), Arthur Chioro (entra no lugar de Alexandre Padilha na Saúde) e José Henrique Paim (que entrará na vaga de Mercadante no MEC), além da ida de Mercadante para a Casa Civil no lugar de Gleisi Hoffmann.

Mais Política