Processo de impeachment

PT indica nomes para comissão de impeachment de Temer; oposição foca em Dilma

Fabiana Maranhão

Do UOL, em Brasília

  • Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

    Michel Temer também é alvo de pedido de impeachment

    Michel Temer também é alvo de pedido de impeachment

A bancada do PT na Câmara Federal anunciou nesta quinta-feira (7) os nomes indicados para compor a comissão especial que vai analisar a abertura de processo de impeachment contra o vice-presidente Michel Temer (PMDB). PSDB e DEM, no entanto, não parecem muito preocupados com o assunto já que o trabalho da comissão que analisa o afastamento de Dilma Rousseff está a todo vapor.

O líder do PT na Casa, Afonso Florence (BA), indicou, como titulares, Arlindo Chinaglia (SP), Henrique Fontana (RS), José Mentor (SP), Paulo Teixeira (SP), Pepe Vargas (RS), Vicente Cândido (SP), Wadih Damous (RJ) e Zé Geraldo (PA).

Para a suplência, constam os nomes de Léo de Brito (AC), Benedita da Silva (RJ), Bohn Gass (RS), Carlos Zarattini (SP), Luiz Sérgio (RJ), Jorge Solla (BA), Paulo Pimenta (RS) e Valmir Assunção (BA).

Nesta quinta, outro partido que indicou nomes foi o PSOL. O líder Ivan Valente (SP) escolheu Edmilson Rodrigues (PA), como membro titular, e Jean Wyllys (RJ), para a suplência.

Oposição

Entre os partidos oposicionistas, a prioridade é outra: o processo de impedimento de Dilma. O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), afirmou que ainda não discutiu o assunto com a sua bancada.

"Neste momento, a bancada não vai querer discutir isso. Toda a nossa energia está voltada para o processo de impeachent [da presidente]", declarou Imbassahy.

Entre os deputados do DEM, o tema até chegou a ser debatido, mas nenhum parlamentar demonstrou interesse de integrar a comissão, segundo o líder Pauderney Avelino (AM).

"Ontem, iniciei a consulta aos deputados, mas eles não querem participar. Eles querem aguardar a decisão do plenário", revelou.

No PMDB, partido do vice-presidente, o discurso é parecido: "Eu não encontrei deputados do PMDB dispostos a participar da comissão. Sendo assim, não tenho como indicar porque não tenho quem indicar", disse o líder do partido na Câmara, Leonardo Picciani.

Na terça-feira, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello determinou que a Câmara dê continuidade ao pedido de abertura de processo de afastamento contra Temer.

O presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), havia arquivado a denúncia feita pelo advogado Mariel Márley Marra, que recorreu da decisão no STF.

Mesmo contrariado, Cunha enviou na quarta ofícios às lideranças dos partidos para que designassem membros para a comissão especialNesta quinta (7), Cunha disse que serão apresentados ao menos dois recursos contra a decisão de Marco Aurélio. "Está se adaptando o agravo [recurso] para se usar a decisão do ministro Celso de Mello. A própria decisão do ministro dá mais substância aos nossos recursos", afirmou Cunha. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos