Com helicópteros e policiais, área da PF tem segurança reforçada em Curitiba

Nathan Lopes e Vinícius Boreki

Do UOL, em Curitiba e Colaboração para o UOL

  • Theo Marques, colaborador

    Com helicópteros e policiais, área da PF tem segurança reforçada

    Com helicópteros e policiais, área da PF tem segurança reforçada

Na expectativa pela prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, decretada nesta quinta-feira pelo juiz Sergio Moro, a superintendência da Polícia Federal em Curitiba reforça a segurança na tarde desta sexta-feira (6). Moro deu o prazo de até as 17h desta sexta para que Lula se apresente na capital paranaense.

Por volta de 14h30, carros da Polícia Militar do Paraná e de seu Batalhão de Choque chegaram à região da superintendência.

Leia também:

Foram ao menos cinco carros, trazendo pouco mais de 20 agentes de segurança. Um helicóptero da polícia também começou a sobrevoar a região. No mesmo horário, a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná fazia uma reunião, a portas fechadas, com a Polícia Federal, e representantes das polícias Militar, Civil, além do Departamento de Inteligência do Paraná e Polícia Rodoviária Federal para tratar do esquema de segurança envolvendo a vinda do ex-presidente Lula a Curitiba.

No entanto, a expectativa de interlocutores próximos ao ex-presidente é que ele não se entregue. No início da tarde, ele permanecia no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP).

Depois da chegada de policiais militares à sede da PF, o número de manifestantes contrários ao ex-presidente cresceu na região. Das cerca de cinco pessoas que passaram o final da manhã e o começo da tarde na porta da superintendência, às 14h45 cerca de 50 já se espalhavam pela rua em frente ao prédio.

Com a aglomeração, começaram a surgir vendedores ambulantes. Eles comercializam bandeiras do Brasil e faixas em verde-amarelo.

Por volta das 15h20, parte do grupo dos manifestantes favoráveis à prisão do ex-presidente Lula começou a soltar rojões em pelo menos seis oportunidades e gritar palavras de ordem contra o petista.

Entre as frases entoadas estavam: "Lula, cachaceiro, devolve o meu dinheiro" e "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão". A ação fez o helicóptero da polícia voltar a circular a região da superintendência da PF. Eles também começaram a cantar o hino nacional. Eles chegaram a amassar copos de plásticos da cor vermelha em alusão ao PT. Um dos manifestantes chegaram a dizer "não gosto que chegue atrasado", referindo-se ao horário determinado para que Lula se entregue. Essas foram as manifestações mais intensas desde o início do dia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos