PUBLICIDADE
Topo

Política

Moro: sociedade tem de entender que governo não resolve todos os problemas

2.jan.2019 - Cerimônia de transmissão de cargo do novo ministro da Justiça, Sergio Moro - Pedro Ladeira - 2.jan.2019/Folhapress
2.jan.2019 - Cerimônia de transmissão de cargo do novo ministro da Justiça, Sergio Moro Imagem: Pedro Ladeira - 2.jan.2019/Folhapress

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

03/02/2019 11h09Atualizada em 03/02/2019 11h43

O ministro da Justiça, Sergio Moro, disse que a população precisa entender que "o governo não resolve todos os problemas". Moro fez a declaração em um vídeo divulgado pelas redes sociais do ministério neste domingo (3). Nele, o ex-juiz federal explica qual é o objetivo do projeto da Lei Anticrime, que ele irá apresentar a governadores e secretários de Segurança dos estados na segunda-feira (4).

De acordo com o ministro, o projeto terá como alvos "a corrupção, o crime organizado e o crime violento". "Na nossa concepção, esses três problemas caminham juntos. O crime organizado alimenta a corrupção, alimenta o crime violento", disse Moro, que também falou sobre o tema durante sua participação no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, em janeiro.

O ministro aponta que "boa parte dos homicídios" está ligada "à disputa de tráfico de drogas ou a dívidas de drogas", enquanto a corrupção "esvazia os recursos públicos que são necessários para implementar essas políticas de segurança pública efetivas". 

Moro explicou que o projeto --"uma proposta sólida"-- tem origem no governo federal, mas que é algo que "interessa a todo o Brasil e toda a sociedade". 

"Sociedade tem que ter presente que o governo não resolve todos os problemas, mas o governo pode ser um ator, pode liderar um processo de mudança", comentou o ministro. "É um desejo do brasileiro de que ele possa viver num país mais seguro. E é, portanto, papel também da sociedade demandar essas respostas por parte do governo."

Moro fará a apresentação aos governadores e secretários a partir das 9h30 de segunda-feira. Entre os presentes, estará o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), que enfrentou uma crise de segurança em seu estado no começo do ano em razão de ataques comandados por facções a partir dos presídios. Em entrevista ao UOL em janeiro, Santana disse que Moro era um aliado no enfrentamento da crise. Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) também irá ao encontro.

No começo da tarde, o ministro apresentará o texto à imprensa. Depois de debater o projeto de lei com as autoridades, o ministro irá encaminhar a proposta ao Congresso Nacional. 

Quando assumiu o ministério, em janeiro, Moro prometeu endurecer as leis contra crimes. Ele chegou a citar, por exemplo, que sua proposta terá a previsão de operações policiais disfarçadas e a proibição de progressão de pena para membros de organizações criminosas armadas. "Não haverá aqui a estratégia não muito eficaz de somente elevar penas", disse o ministro, na época, em seu discurso.

'Projeto de lei anticrime será prioridade', disse Moro em seu discurso de posse

UOL Notícias

Política