PUBLICIDADE
Topo

Moro tem a confiança de Bolsonaro, diz Mourão após vazamentos

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

10/06/2019 12h46Atualizada em 10/06/2019 16h44

O vice-presidente da República, Antonio Hamilton Mourão (PRTB), afirmou hoje que as mensagens vazadas entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e integrantes da Operação Lava Jato são conversas privadas e fora de contexto. Portanto, argumentou, podem trazer "qualquer número de ilações".

Ele ressaltou que Moro tem a mais "ilibada confiança" do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e é respeitado por grande parte da população brasileira com base em pesquisas de opinião pública já realizadas.

Ontem, o site "The Intercept Brasil" divulgou mensagens trocadas no aplicativo Telegram. Entre elas, estão sugestões de Moro para a troca da ordem de fases da Lava Jato para não ficar "muito tempo sem operação".

O ex-juiz chegou a dar conselhos e pistas informais de investigação e antecipou uma decisão que ele ainda não havia tornado pública. As mensagens também mostram que Moro criticou e sugeriu recursos ao Ministério Público.

"Vou responder de uma forma muito simples: conversa privada é conversa privada. E, descontextualizada, ela traz qualquer número de ilações" declarou o vice-presidente.

"Então, o ministro Moro é um cara da mais ilibada confiança do presidente, é uma pessoa que dentro do país tem um respeito enorme por parte da população haja vista as pesquisas de opinião", declarou Mourão ao ser questionado se a isenção de Moro havia ficado em xeque.

"E, em relação aos processos ocorridos na Lava Jato, todos eles passaram por primeira, segunda, e muitos já chegaram na terceira instância. Então não vejo nada demais nisso aí tudo", completou.

Ali não tem orientação nenhuma, diz Moro sobre mensagens

UOL Notícias

Mourão avaliou que, sempre que uma conversa privada é divulgada dessa forma, partes selecionadas podem não revelar a totalidade da história verdadeira.

O vice afirmou que não leu as mensagens trocadas entre Moro e a força-tarefa da Lava Jato, mas viu a notícia pela televisão.

Indagado sobre o fato de conversas semelhantes às vazadas ontem terem sido usadas como fundamento em processos da Lava Jato, Mourão respondeu apenas "é diferente".

Mais cedo, Mourão se encontrou com Bolsonaro e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM). Ele negou que os vazamentos tenham sido debatidos na conversa e disse que a reunião aconteceu como de costume.

Não há previsão de Bolsonaro se manifestar sobre o caso até o momento, informou a Presidência.

Política