Topo

Bolsonaro agradece líder espanhol por prisão de militar em Sevilha

Jair Bolsonaro chega para a foto oficial da cúpula do G20, que está acontecendo em Osaka, no Japão -  ludovic MARIN / AFP
Jair Bolsonaro chega para a foto oficial da cúpula do G20, que está acontecendo em Osaka, no Japão Imagem: ludovic MARIN / AFP

Camila Rodrigues da Silva

Do UOL, em São Paulo

28/06/2019 01h22

Durante o encontro do G20, que acontece hoje em Osaka, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, em sua conta de Twitter, que agradeceu o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, pelo modo como o país está lidando com o caso do sargento da Aeronáutica preso na última terça (25) no aeroporto de Sevilha, na Espanha, por suspeita de traficar drogas.

O militar Manoel Silva Rodrigues, 38, foi preso em Sevilha com 39 quilos de cocaína. Ele estava em um voo da FAB (Força Aérea Brasileira) que deveria fazer escala na Espanha em sua viagem à reunião do G20, no Japão. Após o incidente, a escala foi alterada para Lisboa, em Portugal.

"Em primeiro encontro com o Presidente da Espanha (sic), Pedro Sánchez, aproveitei para agradecê-lo pelo modo como as autoridades espanholas estão lidando com o caso dos entorpecentes apreendidos em avião da FAB e reafirmei minha defesa por punição severa para o tráfico", afirmou o presidente brasileiro.

Fontes do governo espanhol confirmaram à agência EFE que Sanchez e Bolsonaro se cumprimentaram antes da cúpula e conversaram rapidamente enquanto esperavam para tirar a foto oficial.

Ontem, Bolsonaro disse que "o militar vai pagar um "preço alto" e que as autoridades brasileiras colaborarão com a polícia espanhola. Ainda não está claro se o sargento será julgado em âmbito militar - o que poderia resultar em expulsão e prisão de cinco anos --, ou civil. A decisão caberá ao Ministério Público Militar.

Também na quinta, a FAB informou que um Inquérito Policial Militar foi aberto para investigar como o sargento conseguiu embarcar com a droga no avião oficial. Até o momento, a corporação não soube informar se a tripulação da aeronave passou por inspeções, como as feitas por equipamentos de raio-X, antes do embarque e da decolagem. O inquérito está sob sigilo.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado, Pedro Sánchez é primeiro-ministro, e não presidente da Espanha. O texto já foi corrigido.

Política