PUBLICIDADE
Topo

Ministério do Turismo afrouxa isolamento e convoca servidores a repartições

O ministro Marcelo Alvaro Antonio com o presidente Bolsonaro: ministério diz seguir o "padrão do governo" na pandemia - Pedro Ladeira - 11.abr.19/Folhapress
O ministro Marcelo Alvaro Antonio com o presidente Bolsonaro: ministério diz seguir o "padrão do governo" na pandemia Imagem: Pedro Ladeira - 11.abr.19/Folhapress

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

07/05/2020 19h18

Enquanto o número de casos e mortes ligados à pandemia de coronavírus aumenta no país, o Ministério do Turismo determinou que seus servidores voltem a trabalhar em suas devidas repartições. O órgão revogou nesta quinta-feira (7) parte de uma portaria que abria a possibilidade do trabalho remoto para seus colaboradores.

Após nova portaria publicada no Diário Oficial da União, um aviso a dirigentes da pasta foi emitido informando que servidores que não se enquadram no grupo de risco do coronavírus ou não tenham uma justificativa específica "precisarão retornar às suas atividades presenciais".

São parte do grupo de risco quem tem 60 anos ou mais ou tem doenças preexistentes graves, por exemplo.

Procurado pelo UOL, o Ministério do Turismo informou que a retomada do trabalho presencial é uma adequação do órgão ao padrão estabelecido pelo governo federal. O ministério ressaltou outras medidas para prevenção da transmissão do coronavírus seguem sendo tomadas.

Segundo o ministério, ainda poderão trabalhar de casa servidores e colaboradores que possuam filhos em idade escolar e que necessitem da assistência de um dos pais. Neste caso, entretanto, será necessária autorização da chefia imediata para o trabalho remoto.

Em março, uma portaria do próprio Ministério do Turismo tinha autorizado que suas secretarias, diretorias e assessorias reorganizassem o trabalho de todos os seus colaborares por conta da pandemia. O texto previa o trabalho remoto para prevenir e reduzir a transmissão do coronavírus.

Política