PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro diz ter imagem ruim no exterior por mídia mundial ser de esquerda

Do UOL, em São Paulo

25/05/2020 09h02Atualizada em 25/05/2020 10h57

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse hoje ter uma imagem ruim no exterior porque a imprensa mundial é de "esquerda".

Em conversa com apoiadores na portaria do Palácio da Alvorada, Bolsonaro foi abordado por uma simpatizante que pediu que a Secom (Secretaria de Comunicação) faça uma "propaganda melhor" dele. Ela diz ao presidente que ele não está sendo "bem visto no exterior".

"A imprensa mundial é de esquerda. O Trump sofre muito nos Estados Unidos também", respondeu o mandatário.

Apesar de Bolsonaro dizer que a imprensa é de esquerda, desde o início de seu mandato - e principalmente durante a pandemia do novo coronavírus - ele tem sofrido críticas inclusive de veículos de direita ou liberais.

Hoje, o jornal inglês Financial Times publicou um artigo intitulado "O populismo de Jair Bolsonaro está levando o Brasil ao desastre", relembrando demissões de ministros da Saúde em meio à pandemia e a adoção de um protocolo para uso da cloroquina em pacientes em todos os casos de covid-19. Pesquisas não comprovam a eficiência da droga.

"Infelizmente, o Brasil já está pagando um preço alto pelas palhaçadas de seu presidente - e as coisas estão piorando rapidamente", diz um trecho do artigo.

No fim de abril, o jornal também publicou um editorial intitulado "A autodestruição do 'Trump Tropical'", em referência à proximidade de Bolsonaro com o presidente dos Estados Unidos.

O texto comentava sobre as demissões de ministros, a forma como o presidente lida com a pandemia do novo coronavírus no país e diz que Bolsonaro está "justificando seu impeachment sozinho".

Em março, a revista inglesa The Economist acusou, em um artigo, o presidente de subestimar a pandemia de covid-19. De acordo com o texto, Bolsonaro adotou uma posição "complacente". A publicação elogiou a postura de figuras como o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

"Mas quem quer trabalhar contra a doença precisa ignorar os sinais de um presidente que fica depreciando seus esforços", diz o artigo.

Na semana passada, Bolsonaro também foi destaque na mídia internacional por ter participado de uma manifestação quando o Brasil ultrapassou a Itália e a Espanha em casos de coronavírus.

"Apesar dos números sombrios, Bolsonaro se opõe consistentemente ao conselho de especialistas médicos de que medidas rigorosas sejam tomadas para retardar a disseminação da covid-19. No domingo, ele desrespeitou as regras de distanciamento social ao posar para fotografias com crianças tiradas de uma multidão de manifestantes de apoio", dizia trecho de reportagem do jornal britânico The Independent sobre a ocasião.

Política