PUBLICIDADE
Topo

Após celebrar contra Witzel, investigados por fake news criticam ação da PF

Deputado Douglas Garcia (PSL), um dos alvos do inquérito do STF sobre fake news - Ananda Migliano/Ofotográfico/Folhapress
Deputado Douglas Garcia (PSL), um dos alvos do inquérito do STF sobre fake news Imagem: Ananda Migliano/Ofotográfico/Folhapress

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

27/05/2020 16h18

Alvos do inquérito do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre fake news usaram a internet para reclamar da investigação sobre eles. O fato aconteceu um dia após os mesmos celebrarem e incentivarem a apuração da PF (Polícia Federal) sobre suspeitas de corrupção no governo do Rio de Janeiro.

Ao todo, foram expedidos 29 mandados de busca e apreensão pelo ministro Alexandre de Moraes, que conduz o inquérito. A ação de hoje da PF faz parte do inquérito sobre a propagação de notícia falsas que tramita na Corte.

Sara Winter, uma das líderes de um grupo denominado "300 do Brasil", o ex-deputado Roberto Jefferson e o blogueiro Allan dos Santos foram alguns dos alvos da PF e protestaram. Ontem, eles defenderam as investigações da corporação que apuram a possível ligação do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), em fraudes em contratos assinados durante a pandemia do coronavírus.

Os deputados Filipe Barros (sem partido) e Carla Zambelli (PSL-SP), aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também se manifestaram. Veja a seguir:

Roberto Jefferson

O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) minimizou ontem as reclamações de Witzel a respeito de supostos abusos na operação que apura suspeitas de corrupção no governo do Rio. "Não é a democracia, não. É o cofre com o dinheiro do cidadão que está sendo violentado", disse.

Hoje, Jefferson reclamou de "atitude soez, covarde, canalha e intimidatória" do STF ao determinar operação da PF contra ele.

Ontem

Hoje

Sara Winter

A apoiadora do governo Bolsonaro fez piada sobre a ação da PF na residência oficial do governador Witzel ontem. "Alguém saberia me informar como se carrega estrume em viatura?", escreveu ela.

Hoje, chamou de covarde o ministro Alexandre de Moraes, que determinou a busca e apreensão de seu celular e notebook.

Ontem

Hoje

Allan dos Santos

O apresentador do Terça Livre postou ontem em seu Twitter notícias de seu canal no Youtube sobre a investigação que envolveu Wilson Witzel.

Hoje, após ser alvo de ação da PF, questionou: "Até quando fingiremos estar em uma democracia?".

Ontem

Hoje

Deputado Douglas Garcia

O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) incentivou ações da PF sobre o governo de São Paulo. Em uma "dica" a investigadores, ele sugeriu uma "visita" da PF ao Palácio dos Bandeirantes, sede do Executivo paulista.

Hoje, ele reclamou do inquérito do STF sobre fake news e disse que a Corte quer "criminalizar a liberdade de expressão".

Ontem

Hoje

Deputada Carla Zambelli

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) divulgou em seu Twitter a ação da PF para investigação de suspeitas de corrupção no governo do Rio e lembrou que essa ação foi autorizada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Hoje, criticou a ação determinada pelo STF. Zambelli ressaltou que não foi alvo da operação.

Ontem

Hoje

Deputado Filipe Barros

O deputado federal Filipe Barros (sem partido) disse hoje que o país vive uma "ditadura do STF". Ele é um dos investigados pela Corte por suposta relação com propagação de fake news.

Ontem, Barros tuitou sobre a operação da PF para investigação de Witzel e compartilhou piadas sobre o governador do Rio.

Ontem

Hoje

Política