PUBLICIDADE
Topo

Política

Covas rebate Mourão e diz que no Brasil 'milhões são afetados' pelo racismo

15.nov.2020 - Prefeito de São Paulo e candidato à reeleição Bruno Covas vota no Colégio Vera Cruz, Vila Madalena, - Ettore Chiereguni/Agif/Estadão Conteúdo
15.nov.2020 - Prefeito de São Paulo e candidato à reeleição Bruno Covas vota no Colégio Vera Cruz, Vila Madalena, Imagem: Ettore Chiereguni/Agif/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

21/11/2020 22h51

O atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), rebateu hoje à noite no Twitter o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), afirmando que existe sim racismo no Brasil.

Ontem, justamente no Dia da Consciência Negra e após o caso de João Alberto, homem negro espancado até a morte no Carrefour, Mourão afirmou que o racismo é algo que as pessoas querem importar porque não existe no território brasileiro.

"Sr. General Mourão, vice-presidente do Brasil, lamento sua fala. O racismo existe no Brasil, é estrutural e milhões de brasileiros são afetados diariamente por isso", escreveu Covas, usando ainda a #VidasNegrasImportam.

Ainda ontem, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) minimizou o racismo no Brasil. Em um longo texto publicado nas suas redes sociais, Bolsonaro disse ser "daltônico" e alegou que "todos têm a mesma cor".

"Não nos deixemos ser manipulados por grupos políticos. Como homem e como Presidente, sou daltônico: todos têm a mesma cor. Não existe uma cor de pele melhor do que as outras. Existem homens bons e homens maus. São nossas escolhas e valores que fazem a diferença", completou.

Racismo no Brasil

Segundo dados da Pnad, negros (definidos pelo IBGE como pretos e pardos) têm maiores dificuldades de acesso à moradia: 7 em cada 10 que moram em casas com inadequação são pretos ou pardos.

A desigualdade também é sentida na vulnerabilidade: mulheres negras têm 64% mais riscos de serem assassinadas quando comparadas com mulheres brancas.

Já um estudo divulgado hoje pela PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), em parceria com a Rede de Observatórios da Dívida Social na América Latina (RedODSAL), mostra que trabalhadores negros recebem salário 17% menor que o de brancos que têm a mesma origem social, em média.

O resultado mostrou que há diferenças no rendimento de brancos e negros, mesmo quando eles vêm de famílias com recursos econômicos e culturais semelhantes.

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2020, por sua vez, aponta que oito a cada dez pessoas mortas pela polícia em 2019 eram negras.

O dia da Consciência Negra, celebrado no dia da morte de Zumbi dos Palmares, existe para refletir e exigir mudanças nessas questões e em outras, como as desigualdades de acesso à educação e de oportunidades no mercado de trabalho.

Política