PUBLICIDADE
Topo

Política

São Paulo: Alesp deveria discutir medidas restritivas, diz presidente

Carlão Pignatari também apoiou a abertura de templos religiosos - Mauricio Garcia de Souza/Alesp
Carlão Pignatari também apoiou a abertura de templos religiosos Imagem: Mauricio Garcia de Souza/Alesp

Colaboração para o UOL

08/04/2021 13h10

Carlão Pignatari (PSDB), presidente da Alesp, afirmou hoje que as medidas restritivas adotadas pelo governo de São Paulo deveriam passar pela Assembleia Legislativa. Em entrevista à Jovem Pan, o tucano disse que seria "conveniente" que o Legislativo estadual deliberasse sobre o assunto.

"Não é necessário passar pela Assembleia, mas eu acharia conveniente se fosse obrigatório e necessário passar para ser discutido no Legislativo cada vez mais sobre esse tipo de isolamento que está sendo feito em São Paulo", afirmou Carlão Pignatari.

O presidente da Alesp também comentou a discussão que está sendo realizada no STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a reabertura de templos religiosos. Pignatari acredita que é possível reabrir igrejas e templos com segurança. "Penso que temos que mudar essa história", disse.

O plenário do STF vai continuar o debate a partir das 14h de hoje com o voto do ministro Nunes Marques. A sessão ontem foi encerrada após o voto contrário a reabertura de templos e igrejas do ministro-relator Gilmar Mendes.

Compra de vacinas por empresas

Pignatari elogiou o projeto de lei aprovado pela Câmara dos Deputados ontem que autoriza a compra de vacinas por empresas. O tucano ponderou que "não existe vacina no mundo", porém, se houver oportunidade, "estados e municípios possam comprar e as empresas para uso exclusivo dos funcionários, não para os proprietários".

Política