PUBLICIDADE
Topo

Política

Estamos sem instrumentos de contenção da loucura, diz Miguel Reale Jr.

Do UOL, em São Paulo

11/06/2021 09h43

O jurista Miguel Reale Jr. disse hoje, em participação ao UOL News, que o Brasil enfrenta um momento difícil em relação à conduta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) frente à pandemia do novo coronavírus, com a falta de instrumentos para conter o que chama de loucura e irresponsabilidade.

Ex-ministro da Justiça do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e um dos autores do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016, Miguel Reale Jr. fez o comentário em meio a críticas à atuação do procurador-geral da República, Augusto Aras.

"Eu sei muito bem o que é ficar órfão de uma procuradoria que não atua", disse, relembrando o tempo em que era ministro da Justiça.

Sensação que temos é de orfandade. Nós estamos no meio da pandemia, nas vésperas de ter 500 mil mortos [pela covid-19] e estamos sem instrumentos de contenção da loucura, da irresponsabilidade. Nós estamos soltos, ao léu, estamos abandonados. A sensação é de abandono
Miguel Reale Jr., jurista

Miguel Reale Jr. ainda disse que se sente envergonhado do país em decorrência da "sensação de abandono". "Nós estamos abandonados. Estamos sem recursos, sem ninguém que cuide de nós", disse.

Para o jurista, é preciso que haja um movimento de procuradores para pressionar Augusto Aras a mudar sua postura em relação ao Governo Federal, considerada por opositores como subserviente ao presidente.

"Única forma é atuar dentro do MP junto a procuradores para que haja um movimento de anteposição, revolta contra a posição do procurador-geral", disse.

Política