PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro volta a atacar Doria e diz que governador tem 'sede de poder'

Jair Bolsonaro fala com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada - Reprodução/Foco do Brasil
Jair Bolsonaro fala com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada Imagem: Reprodução/Foco do Brasil

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

14/06/2021 10h04Atualizada em 14/06/2021 10h47

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), na manhã de hoje. Em conversa com apoiadores na saída do Palácio do Alvorada, Bolsonaro disse que Doria tem "sede de poder" e "não consegue administrar" o próprio estado.

"É sede de poder. Não consegue administrar o estado dele e quer comandar o Brasil", afirmou o presidente.

A declaração ocorreu depois que um apoiador comentou a possibilidade de Doria se lançar candidato a presidente em 2022, ano que em Bolsonaro disputará a reeleição.

"Ele usou seu nome", destacou o frequentador do Alvorada, em referência à aliança entre os dois em 2018.

Na ocasião, Bolsonaro e Doria eram aliados e chegaram a promover ações de marketing eleitoral com a junção de seus nomes —a chapa "BolsoDoria".

Depois do pleito, eles se tornaram rivais. Os conflitos se acirraram durante a pandemia da covid-19, com críticas de parte a parte em face de posicionamentos divergentes em relação às medidas de prevenção, lockdown, isolamento social e as vacinas.

Ainda instigado pelos apoiadores a falar das eleições do ano que vem, Bolsonaro evitou uma suposta candidatura em potencial do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

"Minas tem dois candidatos lá, né?!", afirmou, em referência a Zema e ao prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD).

Bolsonaro também tomou a iniciativa de criticar um de seus principais adversários políticos no momento, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid.

"Vocês estão acompanhando o Senado americano? Estão investigando a origem do vídeo, possíveis medicamentos para a cura, bem diferente desse que está acontecendo aqui...", comentou. "Aqui, o Renan falou claramente que não quer apurar desvio de recursos. (...) Ele é especialista nisso, né?".

Na condição de relator da comissão, Calheiros tem feito críticas ao presidente Bolsonaro por questões referentes à pandemia. Durante as oitivas no Senado, o relator tem se destacado pelos questionamentos incisivos destinados a depoentes vinculados ao governo e também costuma exibir uma placa com o número de vítimas da covid-19 no país.

O senador já foi chamado de "vagabundo" pelo presidente da República em viagem do chefe do Executivo à base eleitoral do parlamentar, o estado de Alagoas.

Doria faz novos ataques a Bolsonaro

Também na manhã de hoje, Doria fez novas críticas à postura de Bolsonaro, que participou de uma motociata em São Paulo no final de semana.

Em entrevista concedida durante entrega de 1 milhão de doses de CoronaVac ao Ministério da Saúde, o tucano disse que falta ao governo federal "se empenhar no trabalho".

Política