PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Joice Hasselmann anuncia saída do PSL por "manter escória bolsonarista"

Deputada Joice Hasselmann - Divulgação
Deputada Joice Hasselmann Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

14/06/2021 16h33

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) anunciou a sua saída do PSL, em post publicado nas redes sociais, na tarde de hoje. A parlamentar justificou a decisão porque, segundo ela, o partido não manteve apenas a "escória bolsonarista", mas "entregou o coração da legenda". Joice entrou com ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo desfiliação por justa causa.

"Sobre o PSL: entrei na Justiça hoje para deixar a legenda por justa causa. Não sou boba. Sei que partido é problema, mas o PSL virou a representação do que há de pior na política. O PSL não só manteve a escória bolsonarista em seus quadros, mas entregou o coração da legenda", disse ela, na publicação. (Leia a nota, na íntegra, abaixo)

Na mensagem, Joice Hasselmann faz críticas duras ao presidente do partido, Luciano Bivar, com quem já teve inúmeros desentendimentos públicos, e diz que bolsonaristas —como a deputada Bia Kicis (PSL-DF) e o "filho lesado do presidente [Bolsonaro]", segundo as suas palavras— esculhambaram com o PSL.

"É culpa exclusivamente do PSL comandado por Bivar termos Bia Kicis na CCJ envergonhando o país e a Câmara. É culpa dele termos bolsonaristas insanos dominando o PSL, pois ele deu ordem para suspender a expulsão dos bolsonaristas, incluindo a do filho lesado do presidente", prosseguiu Joice, referindo-se ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

"Os bolsonaristas esculhambaram [com] o PSL, tentaram criar outro partido, achincalharam os leais, as bandeiras liberais e ao país. E, ao invés de serem expulsos, são agraciados numa negociata que deve ter sido muito lucrativa, afinal, que partido se entregaria assim? E por quê?", questionou ela.

Eleita deputada federal por São Paulo com 1.078.666 votos, se tornando a mulher com a maior votação para o cargo na história do país, Joice deixou a liderança do governo no Congresso Nacional em outubro de 2019, em meio a atritos com filhos do presidente. No lugar dela, passou a assumir a liderança o senador Eduardo Gomes, do MDB de Tocantins.

Sua saída teria sido acelerada pela crise com o PSL, segundo integrantes do partido revelaram ao jornal O Globo, mas a troca já era cogitada há algum tempo pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A situação da parlamentar teria ficado comprometida depois de ela assinar uma lista de apoio à permanência do deputado Delegado Waldir na liderança do PSL na Câmara. O desejo do presidente Bolsonaro, na época, era que a posição fosse assumida por seu filho Eduardo. O presidente articulou para isso acontecer, mas sofreu uma derrota.

Antes aliados, agora inimigos...

Joice Hasselmann e Jair Bolsonaro então romperam relações e um passou a atacar o outro publicamente. O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, também entrou na briga e passou a associá-la à imagem do desenho animado Peppa Pig, nas redes sociais.

O comentário se relaciona à aparência de Joice e pode ser caracterizado como gordofóbico e de violência política de gênero.

Joice também teve atritos públicos com outros colegas de partido, como a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Leia a nota na íntegra:

Sobre o PSL: entrei na justiça hoje para deixar a legenda por justa causa. Não sou boba. Sei que partido é problema, mas o PSL virou a representação do que há de pior na política. O PSL não só manteve a escória bolsonarista em seus quadros, mas entregou o coração da legenda. Explico

Na eleição da Câmara houve uma negociata para que o PR [presidente] do PSL ganhasse seu carguinho, com apoio dos bolsonaristas. Em troca, ele deu a liderança do partido e todas as comissões importantes e espaços para os asseclas de Bolsonaro e entregou a cabeça dos opositores ao governo.

É culpa exclusivamente do PSL comandado por Bivar termos Bia Kicis na CCJ envergonhando o país e a Câmara. É culpa dele termos bolsonaristas insanos dominando o PSL, pois ele deu ordem para suspender a expulsão dos bolsonaristas, incluindo a do filho lesado do presidente

Os bolsonaristas esculhambaram o PSL, tentaram criar outro partido, achincalharam os leais as bandeiras liberais e ao país e ao invés de serem expulsos são agraciados numa negociata que deve ter sido muito lucrativa, afinal, que partido se entregaria assim? E por quê?

Num português bem claro, ao manter o câncer bolsonarista dentro do partido e mandando na legenda, o PSL é cúmplice de todas as traições de Bolsonaro. Ele traiu o povo, o partido fez a mesma coisa e ainda traiu seus aliados que acreditaram em alguma decência da legenda

Não há a menor condição de eu ficar numa legenda que mantém negociatas com Bolsonaro e sua tropa. Já estive no mesmo partido desse monstro. Não cometerei o mesmo erro. Jamais.

Política