PUBLICIDADE
Topo

Política

Aécio diz que não houve fraude em 2014, mas pede modernização das urnas

Aécio Neves: "Eu não acredito que tenha havido fraudes nas urnas em 2014" - Wilson Dias/Agência Brasil
Aécio Neves: "Eu não acredito que tenha havido fraudes nas urnas em 2014" Imagem: Wilson Dias/Agência Brasil

Rafael Neves

Do UOL, em Brasília

08/07/2021 16h43Atualizada em 08/07/2021 17h10

Candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014, o deputado Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou não acreditar que tenha havido fraude nas urnas eletrônicas no pleito daquele ano.

A declaração foi dada em nota enviada a pedido do UOL, um dia após o presidente Jair Bolsonaro dizer em entrevista, sem apresentar provas, que Aécio teria perdido aquelas eleições para a ex-presidente Dilma Rousseff devido a uma fraude nos equipamentos.

Aécio disse não crer que tenha havido fraude, mas defendeu a modernização do sistema eleitoral. "Eu não acredito que tenha havido fraudes nas urnas em 2014. Tampouco acredito que nós estejamos fadados a viver eternamente com as urnas eletrônicas de primeira geração", afirmou na nota.

"O mundo inteiro que utiliza urnas eletrônicas avançou para algum tipo de auditagem, de conferência. Isso vem não contra, mas em benefício da credibilidade, da confiabilidade do nosso sistema", completou.

Vice de Aécio em 2014, o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) também descartou que tenha havido fraude naquele ano. "A eleição foi limpa, nós perdemos porque faltou voto", disse o parlamentar ao jornal Folha de S. Paulo.

Por meio do Twitter, o PSDB também anunciou ter confiança nas urnas e afirmou que Bolsonaro "flerta com um extremo minoritário".

"Radicalismo político"

Bolsonaro e seus aliados têm defendido, no Congresso, uma reforma no sistema para que as urnas passem a emitir um comprovante impresso do voto, que serviria para afastar a possibilidade de fraudes. Para o deputado tucano, porém, este não é o momento de conduzir essa discussão.

"Eu defendo que nós possamos retomar essa discussão sobre possibilidade de auditagem dos votos num momento menos contaminado pelo radicalismo político. Precisamos desinterditar esse debate, repito, em benefício do próprio sistema criado no Brasil", defendeu Aécio.

Segundo o parlamentar mineiro, "temos que evoluir do atual sistema para um sistema eletrônico mais avançado, em favor da própria confiabilidade das urnas eletrônicas".

Política