PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Líder do MTST: 'Enquanto povo passa fome, patrimônio dos Bolsonaro cresce'

Colaboração para o UOL

30/09/2021 13h12

O coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Rud Rafael, explicou que o protesto em frente à mansão milionária do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) hoje foi um "ato simbólico contra a fome, inflação, alta absurda dos preços".

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) virou alvo do grupo pelo preço de sua residência em Brasília, avaliada em R$ 5,97 milhões. "Enquanto o povo tem passado fome, o patrimônio da família Bolsonaro só tem crescido. Enquanto alguns lucram com o que tem acontecido, a maioria do povo passa fome, está desempregado e sofrendo consequências do desgoverno", disse Rud em entrevista à Fabíola Cidral, durante o UOL News.

Segundo o líder do movimento, "são 19 milhões de pessoas passando fome e mais de 125 milhões em insegurança alimentar. Mais da metade da população não sabe se vai ter comida na mesa". Para ele, falta uma política de assistência do governo e medidas que fortaleçam a agricultura familiar. "Precisamos de auxílio emergencial que garanta a sobrevivência, porque a pandemia não acabou", reforçou.

Rud relembrou as "imagens dramáticas" vistas essa semana de pessoas recorrendo a comprar ossos em uma tentativa de se alimentar. No ato de hoje, o MTST disse que 300 famílias se mobilizaram para protestar contra o governo.

Hoje levamos a bandeira do Brasil com fome no centro porque é essa a imagem que queremos passar, que a periferia está se mobilizando contra tudo isso no Brasil. Não vamos mais aceitar essa realidade da alta do preço da carne, energia, isso se tornou insuportável e chegou a hora de dar um basta nisso".

O MTST está com uma agenda de "eventos surpresa" como o de hoje na frente da casa de Flávio Bolsonaro e o da semana passada na Bolsa de Valores de São Paulo, mas também tem manifestações abertas ao público.

A próxima será no sábado (2) e o grupo prevê mobilizar até 400 cidades brasileiras. "Temos expectativas de um ato histórico para avançar o impeachment e derrubar Bolsonaro para o país ter um futuro", disse Rud.

Política