PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

YouTube tira do ar canal que retransmitia Terça Livre, de Allan dos Santos

MPF denuncia Allan dos Santos por ameaça e incitação ao crime contra ministro Barroso - Reprodução/Terça Livre
MPF denuncia Allan dos Santos por ameaça e incitação ao crime contra ministro Barroso Imagem: Reprodução/Terça Livre

Do UOL, em São Paulo

22/10/2021 21h16Atualizada em 23/10/2021 19h26

O canal Artigo 220, que retransmitia no YouTube conteúdo do site conservador Terça Livre, do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, foi retirado do ar na noite de hoje. Contas de perfis em outras redes sociais também foram suspensas.

Em nota, o Google disse que "o canal Artigo 220 foi removido em cumprimento a uma decisão proferida em processo judicial sob segredo de justiça. O Twitter também se posicionou de maneira semelhante e afirmou que "bloqueou as contas para atender a uma ordem judicial proveniente do Supremo Tribunal Federal (STF)". O UOL também entrou em contato com outras plataformas, e aguarda posicionamento.

Allan dos Santos é investigado em dois inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) por disseminação de fake news e ameaça e incitação ao crime contra autoridades. Em setembro, a ministra Rosa Weber determinou a manutenção da quebra dos sigilos telefônico, telemático, bancário e fiscal do blogueiro. Allan dos Santos é considerado uma espécie de líder informal das redes bolsonaristas, e muito ligado aos filhos do presidente Bolsonaro.

O site Artigo 220 era utilizado pelo blogueiro para burlar o bloqueio do Terça Livre e de seus perfis pessoais solicitados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Santos é acusado de crimes ligados à comunicação e de usar o canal Terça Livre para a prática de lavagem de dinheiro.

No último dia 5, Moraes pediu ainda a prisão preventiva de Allan dos Santos, que segue morando nos EUA e, segundo a Polícia Federal, de forma ilegal, já que o seu visto estaria vencido. Moraes também acionou o Ministério da Justiça e a embaixada do Brasil nos EUA para que o influenciador seja extraditado.

O pedido de prisão foi feito pela PF no dia 16 de setembro, com o argumento de que Santos "prossegue praticando crimes" mesmo depois de deixar o Brasil.

Nesta sexta-feira (22), o blogueiro se manifestou pela primeira vez sobre a decisão de Moraes e afirmou que só se apresentará quando a Interpol agir.

O pedido de Alexandre de Moraes [do STF] precisa ser acatado pela Interpol. Uma vez acatado eu mesmo faço questão de me apresentar seja onde for.
Bolsonarista Allan dos Santos comenta decisão do STF em boletim do Terça Livre

O nome Artigo 220 faz a referência ao artigo da Constituição Federação que diz: "A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição."

Em mensagem publicada no Telegram, o Artigo 220 criticou a decisão de retirada do canal e dos perfis. "Aos seguidores brasileiros, infelizmente o canal não estará disponível para vocês. Para quem estiver fora do Brasil, nossos vídeos continuarão. É lamentável para nós ver a corte brasileira anulando o Artigo 220 da Constituição"

Política