PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
6 meses

Bolsonaro prevê acerto com PL hoje e quer ter candidato ao governo de SP

Jair Bolsonaro quer indicar candidato a governador de São Paulo para fechar com PL - Anderson Riedel/PR
Jair Bolsonaro quer indicar candidato a governador de São Paulo para fechar com PL Imagem: Anderson Riedel/PR

Fábio de Mello Castanho e Hanrrikson Andrade

Do UOL, em São Paulo e em Brasília*

10/11/2021 10h44Atualizada em 10/11/2021 13h18

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que tem uma conversa agendada com o presidente nacional do PL, ex-deputado Valdemar da Costa Neto, e pretende acertar sua ida para o partido ainda hoje. Em entrevista à Rádio Cultura do Espírito Santo, Bolsonaro ainda afirmou que pretende indicar um candidato ao governo de São Paulo pela sigla.

O possível anúncio de filiação de Bolsonaro ao PL acontece em um momento de intensa movimentação dos partidos visando as eleições de 2022. O Podemos, por exemplo, promoveu hoje evento para filiar ao seu quadro o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, apontado como potencial candidato à presidência.

"Hoje eu vou conversar com o Valdemar da Costa Neto, presidente do PL. Uma última conversa com ele. Eu acho que nós devemos bater o martelo hoje. Estamos acertando um pequeno detalhe", disse Bolsonaro.

Sem citar nomes, Bolsonaro disse que o detalhe a ser acertado está relacionado à possibilidade de indicar um candidato para o governo de São Paulo. Anteriormente, ele havia citado o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, como opção.

"São Paulo tem mais de 30 milhões de eleitores. É o maior colégio eleitoral do Brasil. Se eu vier a disputar a reeleição, eu quero ter um candidato ao governo do estado em São Paulo, um candidato ao Senado e uma boa bancada de indicados", disse.

Ontem, Bolsonaro afirmou que a sua filiação ao PL "estava quase certa" e se antecipou a críticas, dizendo que todos os partidos têm problema.

Ex-deputado condenado no escândalo do mensalão, o líder do PL foi criticado mais de uma vez pelo próprio Bolsonaro e por seus filhos no passado. Na segunda-feira, seu filho Carlos apagou um post no Twitter de três anos atrás em que ressaltava uma reportagem sobre pagamentos de propinas ao então PR (Partido da República), como se chamava o partido na época, e a Valdemar.

Desde que deixou o PSL, em 2019, após desentendimentos com a cúpula da sigla, Bolsonaro tentou criar o Aliança Pelo Brasil, mas o projeto acabou não saindo do papel.

Bolsonaro também chegou a discutir seu retorno ao Progressistas (PP), partido do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, pelo qual Bolsonaro foi deputado de 2005 a 2016.

*Com informações da agência Reuters.

Política