PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
7 meses

Prévias do PSDB: só 8% dos filiados aptos conseguiram votar por app

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

22/11/2021 15h17

Apuração do UOL mostra que apenas 8% dos filiados do PSDB conseguiram votar nas prévias do partido ontem para escolha do candidato à presidência da República no pleito de 2022. Entre os que não votaram está o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, uma das vítimas das falhas no aplicativo usado.

Dos 44.697 filiados aptos a votarem na prévia, congressistas tucanos calculam que cerca de 3.500 pessoas conseguiram usar o app no domingo. Além de FHC, que é presidente honorário do partido, os senadores José Serra e Mara Gabrilli e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin também são alguns dos que tiveram problemas.

Por causa das falhas, o processo só deve ser retomado após ajustes no programa. Concorrem à posição de pré-candidato do partido o governador de São Paulo, João Doria, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio Neto.

A campanha de Eduardo Leite tem sugerido um possível adiamento das prévias para 2022. Caso isso aconteça, o processo atual seria anulado e um novo iniciado. Mas, em São Paulo, o presidente estadual da sigla, Marco Vinholi, se posicionou hoje contrariamente à retomada das prévias do partido em 2022.

"Nós não vamos aceitar, sobretudo depois de ver uma comissão eleitoral com a maioria pró-Leite, de acompanhar um aplicativo feito por uma entidade do Rio Grande do Sul, de tanta coisa ao longo do processo, é que se discuta qualquer tipo de possibilidade de postergação de prévias para o ano que vem. Aí nós não vamos aceitar de maneira alguma", disse Vinholi à CNN.

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, deve se reunir com representantes partidários e responsáveis técnicos ainda nesta segunda para definir os trâmites das prévias. De acordo com Araújo, o parecer técnico sobre a falha do aplicativo poderá ser apresentado também nesta segunda-feira.

"No início da tarde, haverá parecer técnico dos representantes do três candidatos sobre o real status e diagnóstico do aplicativo para entender qual é o tempo de resolução dele. Se for de curtíssimo prazo, a ideia é que seja disponibilizado praticamente que imediatamente para o filiado. Se a posição for outra, as campanhas vão ter de dialogar para saber como vamos fechar essa parte para fechar o resultado", disse Araújo.

Prévias marcadas por falhas

A eleição das prévias presidenciais do PSDB foi marcada ontem por instabilidade no aplicativo de votação destinado aos filiados. O processo acabou suspenso e só será retomado o quanto antes após ajustes no programa. Para tentar uma solução, os candidatos discutiram, em reunião com a direção do PSDB, adiar ou prorrogar as prévias.

Um dos problemas com a ferramenta foi a compra em quantidade insuficiente de licenças de uso de um software para reconhecimento facial, segundo apurou a Folha de S.Paulo.

O aplicativo custou cerca de R$ 1,3 milhão ao PSDB, mas os custos das prévias são maiores —incluem a realização de evento em Brasília, neste domingo, e a verba para cada campanha, que foi de mais de R$ 1 milhão. Sem contar as passagens e hospedagens para que prefeitos de todo o Brasil fossem à capital federal.

Política