PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro chama Putin de 'amigo' e diz ter valores em comum: Deus e família

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

16/02/2022 11h30Atualizada em 16/02/2022 16h21

O presidente Jair Bolsonaro (PL) se referiu hoje ao líder russo, Vladimir Putin, como um "amigo" e disse compartilhar com ele "valores comuns como a crença em Deus e a defesa da família".

A declaração ocorreu logo depois de um almoço entre autoridades locais e a delegação brasileira presente em Moscou. A viagem à capital russa ocorre em meio ao clima de tensão na fronteira com a Ucrânia e a possibilidade de um conflito armado na Europa.

"Compartilhamos de valores comuns como a crença em Deus e a defesa da família. Também somos solidários a todos aqueles países que querem e se empenham pela paz", declarou o governante brasileiro.

Esta foi a terceira agenda do dia da passagem de Bolsonaro por Moscou. Mais cedo, ele participou de uma cerimônia militar, a homenagem ao Túmulo do Soldado Desconhecido (símbolo da extinta União Soviética), e depois foi recebido por Putin na chegada ao Kremlin, sede do governo local. Eles tiveram uma rápida conversa antes do almoço.

O chefe do Executivo brasileiro não fez comentários sobre a situação envolvendo Rússia e Ucrânia. Ele havia recebido orientação do Itamaraty para não tocar no assunto, a não ser que o mesmo fosse provocado pelo próprio Putin.

Bolsonaro agradece por apoio na área ambiental

Bolsonaro afirmou ainda que o chefe de estado da Rússia prestou apoio, "de forma muito especial", quando, segundo entendimento do brasileiro, "alguns países [europeus] questionaram a Amazônia como patrimônio da humanidade".

"Quero agradecer a sua intervenção, que sempre esteve ao nosso lado em defesa da nossa soberania. Muito obrigado."

Bolsonaro também destacou a "retomada do comércio bilateral" aos níveis anteriores à pandemia, apesar da crise instalada desde o primeiro semestre de 2020 em escala global. Mais cedo, Putin revelou dado que indicaria um aumento de 87% das relações comerciais entre os dois países no ano passado.

Uma das pautas mais importantes da viagem, do ponto de vista da delegação brasileira, é o comércio de fertilizantes. De acordo com Bolsonaro, a Rússia manifesta "muito interesse" no assunto, fato pelo qual ele disse "ser grato ao amigo".

A questão da importação de fertilizantes será discutida com maior profundidade na última agenda do dia para Bolsonaro em Moscou —ainda durante esta tarde, pelo horário oficial de Brasília, ele terá encontros com líderes do Parlamento russo e empresários do setor do agronegócio.

'Deus acima de todos nós'

Bolsonaro, que está em ritmo de pré-campanha eleitoral e deve confirmar em breve a sua candidatura à reeleição neste ano, levou para a Rússia uma adaptação do slogan vitorioso no pleito de 2018 —e que até hoje é repetido por seus apoiadores ("Brasil acima de tudo, Deus acima de todos").

Após o almoço com Putin, Bolsonaro declarou que "o mundo é a nossa casa", e "Deus está acima de todos nós".

Criticado por não desistir da viagem e, consequentemente, posicionar-se na contramão dos grandes países ocidentais —que pressionam Putin a desmobilizar o aparato militar na fronteira com a Ucrânia e encerrar a crise com o país vizinho—, o mandatário brasileiro voltou a pedir "paz para o mundo".

"O mundo é a nossa casa, e Deus está acima de todos nós. Pregamos a paz e respeitamos todos aqueles que agem dessa maneira, afinal de contas, esse é o interesse de todos nós: paz para o mundo."

Política