Conteúdo publicado há 8 meses

Lula lamenta assassinato de médico irmão de Sâmia Bomfim: 'Indignação'

O presidente Lula (PT) lamentou hoje o assassinato de três médicos nesta madrugada no Rio de Janeiro. Um deles era irmão da deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP).

O que ele disse

"Recebi com grande tristeza e indignação a notícia da execução de Diego Ralf Bomfim, Marcos de Andrade Corsato e Perseu Ribeiro Almeida na orla da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, na madrugada desta quinta-feira", escreveu Lula no X, antigo Twitter.

Lula reforçou que a PF acompanhará o caso. O ministro da Justiça, Flávio Dino, disse que determinou que a corporação siga as investigações, pela possível relação política.

O vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) lamentou a morte dos médicos. "Esperamos que as autoridades policiais esclareçam com celeridade esse lamentável episódio e que os rigores da lei sejam aplicados aos autores desse crime bárbaro".

A primeira-dama, Janja da Silva, também expressou condolências. "Que a polícia investigue a autoria e causas do crime, para elucidar se ele também tem alguma relação política. Deixo aqui meu abraço apertado, meus sentimentos e minha solidariedade à Sâmia e todos os familiares e amigos das vítimas", escreveu.

Políticos reagem

Governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, disse que crime não ficará impune. "Entrei em contato com o ministro da Justiça, Flávio Dino, que colocou a Polícia Federal à disposição das investigações. Vamos unir forças para chegar à motivação e aos autores", disse.

Continua após a publicidade

"Crime perverso", definiu o prefeito do Rio, Eduardo Paes, que também enviou uma mensagem de solidariedade às famílias das vítimas. "Minhas condolências à deputada Sâmia Bomfim, irmã de Diego Ralf Bomfim. Esperamos que o crime seja logo elucidado pelas forças policiais", escreveu nas redes sociais.

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, expressou "profundo pesar". "Expresso meu profundo pesar e solidariedade à deputada Sâmia Bomfim, e à sua família, em razão da perda do irmão, o médico Diego Ralf Bomfim, executado a tiros na madrugada desta quinta-feira, no Rio de Janeiro", escreveu.

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), mandou condolências e pôs à disposição de Sâmia os "serviços" da Câmara. "O presidente Arthur Lira tentou o contato e mandou condolências à parlamentar paulista, Sâmia Bomfim, se solidarizando e colocando os serviços da instituição à disposição, inclusive para a sua segurança pessoal", publicou.

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, disse ter recebido a notícia com tristeza. "Infelizmente, conheço a dor destes familiares", escreveu ela, irmã da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio em 2018.

O ministro Silvio Almeida, dos Direitos Humanos, disse que recebeu a notícia "com imensa tristeza" e reforçou que o governo federal acompanhará o caso. "Fica o meu abraço solidário e fraterno aos familiares das três vítimas, dentre eles meus queridos amigos, os deputados federais Sâmia Bomfim e Glauber Braga", escreveu.

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, expressou apoio para que responsáveis sejam identificados. "Toda solidariedade aos familiares e amigos dos médicos executados na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Todo o apoio para que os responsáveis sejam identificados. Minhas condolências à Deputada Sâmia Bomfim e ao Deputado Glauber Braga."

Continua após a publicidade

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho, afirmou que o Brasil está consternado com o assassinato dos médicos. "Na pessoa da deputada Sâmia Bomfim, que perdeu um irmão, externo meus profundos sentimentos aos familiares e amigos das vítimas. Que as autoridades esclareçam o crime com rapidez e punam os autores."

Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, citou "barbárie da violência". "Minha solidariedade à deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP) pela perda de seu irmão, e às famílias devassadas por esses atos terríveis de violência que destruíram a vida de seus entes queridos. A barbárie da violência redobra a dor da perda", escreveu.

Ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, se disse chocado com o crime. "É fundamental que este caso seja investigado com máxima rigorosidade (sic) para que os responsáveis por essa ação sejam devidamente punidos."

Ministro da Comunicação Social, Paulo Pimenta, também se solidarizou com os familiares. "Meus pensamentos estão com a deputada Sâmia Bomfim, que perdeu o irmão nesse crime", escreveu. "Que os responsáveis por esse crime sejam encontrados".

Ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, expressou condolências. "Que a investigação seja célere e que seja feita justiça", disse.

Ministra da Cultura, Margareth Menezes, enviou uma mensagem à família das vítimas: "Que Deus conforte a todas e todos e lhes dê força! Que esse crime seja investigado com rapidez e vigor", escreveu.

Continua após a publicidade

"Noite de horror", disse o presidente da Embratur, o ex-deputado do RJ Marcelo Freixo. "Os responsáveis por esse crime brutal têm que ser identificados e punidos", escreveu.

Oposição também se solidarizou

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) desejou que "o crime seja rapidamente esclarecido" e que "os criminosos encontrados e responsabilizados". "Meus sentimentos às famílias dos médicos covardemente assassinados no RJ, entre eles o irmão da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP)", escreveu.

"Não é momento de debate, mas de acolhimento", afirmou o deputado Nikolas Ferreira (PL-MG). "Só quem perde um ente querido sabe o que é essa dor."

"Crime lamentável", classificou Kim Kataguiri (União-SP). "O irmão da deputada Sâmia Bomfim foi executado no Rio de Janeiro junto com outros 2 médicos. Meus sentimentos à deputada e a todos os familiares e amigos das vítimas".

"As perdas de vidas humanas inocentes, em especial por assassinato, são sempre momentos de profunda tristeza e atingem não só as famílias, mas também toda a nação", escreveu Michelle Bolsonaro (PL). "Meus sinceros sentimentos aos familiares dos médicos cujas vidas foram brutalmente retiradas, no Rio de Janeiro, dentre eles, o irmão da deputada Sâmia Bomfim. Que o Espírito Santo de Deus os console hoje e sempre."

Continua após a publicidade

"Crime brutal e inaceitável", escreveu o senador Sergio Moro (União-PR). "Minha solidariedade à deputada Sâmia Bomfim e aos demais familiares e amigos das vítimas".

"Minha solidariedade irrestrita", escreveu Rosângela Moro (União-SP). "Esse crime brutal deve ser investigado de maneira célere. Que as consequências da justiça sejam aplicadas com todo o rigor."

"Meus sentimentos a deputada Sâmia Bomfim", disse o deputado Mario Frias (PL-SP). "Só quem perde um ente querido entende o significado de impunidade".

Deixe seu comentário

Só para assinantes